Olavo de Carvalho

Da wiki Metapedia
Ir para: navegação, pesquisa
Olavo Luiz Pimentel de Carvalho
OlavodeCarvalho.jpg
Olavo de Carvalho com o Talmude e o Corão
Nascimento 29 de abril de 1947, Campinas, Bandeira do brasil.jpg Estados Unidos do Brasil
Nacionalidade Bandeira do brasil.jpg Brasileira
Ocupação Astrólogo, guru de institutos neoliberais, escritor neoconservador


Olavo Luiz Pimentel de Carvalho (* 29 de abril de 1947 em Campinas, Brasil), residente em Carson, na área rural da Virginia, nos Estados Unidos, é um astrólogo, líder de seitas, proxeneta, guru de institutos neoliberais, escritor neoconservador e sionista, auto-declarado "jornalista", "ensaísta", "filósofo" e "professor".[1]

Olavo de Carvalho mora em um gueto, cercado de olavetes, na 301 Rustic Drive, Carson, VA, 23830. No mesmo endereço moram as olavetes Cleber Viotto e Isabela Cota, entre outros amigos e parentes.

Olavo de Carvalho é um estelionatário e um agente de desinformação sionista[2] (criptocomunista)[3] O único propósito do Olavo de Carvalho e das olavetes é semear intolerância e ódio contra ideias, organizações e vozes do campo progressista.

Mesmo sem ser uma mente brilhante (não completou o quarto ano do ensino fundamental)[4][5], ganhou seguidores por suas publicações supostamente de "direita" (direita kosher), em uma época tomada pelo marxismo cultural do pós-regime militar.

Olavo de Carvalho foi demitido de todos os jornais e revistas em que trabalhou, exceto do Diário do Comércio, editado pela Associação Comercial de São Paulo, que era sustentado pela publicação obrigatória dos balancetes das empresas em veículos de comunicação, porque é amigo de Guilherme Afif Domingos. O jornal Diário do Comércio deixou de circular em novembro de 2014, em sua versão impressa, passando a ser publicado apenas na Internet, mas toda a equipe de colunistas foi mantida. A continuidade da versão impressa do Diário do Comércio estava ameaçada por anos de operação com resultados negativos. A tiragem declarada do Diário do Comércio era de 25 mil exemplares.

Segundo o Cartório de Comodoro 2º Ofício:

"Existe um comércio fluente de venda de notas frias de empresas inexistentes e de pessoas especializadas em negociá-las."[6]
"Algumas empresas de eventos têm sido grandes fornecedoras de notas frias, pois é difícil verificar o cachê dos artistas e a comissão dos agentes. As notas desses eventos são, muitas vezes, superfaturadas e parte do dinheiro volta ao prefeito e à sua equipe."[6]


Olavo de Carvalho já foi confundido com Olavo Egydio Monteiro de Carvalho, dono do título de marquês de Salamanca, que já deu festas na propriedade de 100 mil m2 no Rio de Janeiro, onde, em 1998.

Segundo Olavo de Carvalho:

"Já me confundiram com o Olavo Monteiro de Carvalho (sogro do Collor[7]) para dizer que eu era milionário. Agora me tomam por um tal Olavo Muniz de Carvalho para espalhar que sou maçom."


Segundo Emir Sader, os comunistas inventaram um personagem ridículo, troglodita, colocaram na sua boca as mais grotescas versões do pensamento conservador, para mais facilmente ridiculariza-lo e derrota-lo. Colocaram-lhe um nome fictício, "Olavo de Carvalho", e imputaram a ele ser empregado de Ronald Levinsohn, que protagonizou um dos mais divulgados escândalos dos tempos dos governos militares. Todo país tem um pensador de extrema direita, mas no Brasil inventaram esse grotesco personagem, deram-lhe um tom improvável, ridículo, ignorante, que só colabora para que a esquerda apareça como depositária da cultura, da capacidade teórica de análise, da democracia e da liberdade.

Segundo Armindo Augusto de Abreu, Olavo de Carvalho nada constrói de bom ou produtivo. Só destila o velho ódio, o dos antigos anarquistas pela sociedade organizada, contra os patrícios que ainda a respeitam.[8] Olavo de Carvalho persiste em velhos erros de concepção e comportamento anti-social revolucionário, creditados à assumida formação marxista da juventude, que repete-se agora, de sinal trocado, como sexagenário empedernido.[8] Ao invés de haver seguido, e nela tentar brilhar, carência acadêmica convencional, com regras claras e ampla concorrência de ideias, Olavo de Carvalho decidiu "queimar etapas" e desfilar sozinho, pimpão, declarando-se de público, esponte propria, um "filósofo".[8]

Olavo de Carvalho desenvolveu um estilo que faz crer aos menos atentos, aos desavisados, aos incautos e, principalmente, aos hipnotizados, que ele fala e escreve com profundidade aristotélica sobre absolutamente tudo.

Índice

Biografia

Olavo de Carvalho nasceu em 29 de abril de 1947 na cidade de Campinas. A partir de 2005 se mudou para Richmond, no estado estadunidense de Virgínia.

Empresas

Algumas empresas criadas por Olavo de Carvalho:

CNPJ Razão social Data de abertura Quadro Societário
57.974.750/0001-81 Olavo Luiz Pimentel de Carvalho - ME 23/09/1987 Natureza jurídica: Empresário Individual
A natureza jurídica não permite o preenchimento do Quadro de Sócios e Administradores
61.364.881/0001-14 Sociedade Brasileira de Astrocaracterologia 13/11/1989 O estabelecimento não está ativo na Receita Federal do Brasil desde 31/12/2008
04.558.768/0001-36 Instituto Brasileiro de Humanidades - Ibh 28/01/2000 O estabelecimento não está ativo na Receita Federal do Brasil desde 28/01/2015
07.683.103/0001-42 Olavo de Carvalho Producoes Ltda. - ME 19/04/2005 Nome: Olavo Luiz Pimentel de Carvalho
Qualificação: Sócio-Administrador
Nome: Roxane Andrade de Souza
Qualificação: Sócio-Administrador

PCB

Olavo de Carvalho jovem

Olavo de Carvalho foi comunista de 1966 a 1968 pelo Partido Comunista Brasileiro. Olavo de Carvalho e Roxane Andrade de Souza foram marxistas radicais marcados pelo governo militar.

Segundo Olavo de Carvalho:

"Quando eu morava na Casa do Estudante do XI de Agosto, ali todo mundo era militante de esquerda, mas havia dois tipos: os revolucionários sérios, de vocação, que sonhavam com carreira política (como Rui Falcão), e os que eles chamavam de Lumpenproletários, a escória da revolução, os desclassificados como eu e o Rocco Buonfiglio, que só pensavam em revolução quando não estavam pensando em mulher, o que acontecia, digamos, uns trinta minutos por semana. Eu e esse simpático companheiro de farras freqüentávamos nas noites de sexta uma gafieira então muito famosa, o Som de Cristal, na Rua Rego Freitas. Não havia prostitutas naquele estabelecimento, cujo público feminino constituía-se eminentemente de empregadinhas domésticas em busca de compensações eróticas para a rotina deprimente da semana. Cada namoradinha que ali arrumávamos tinha sempre algumas amigas que, sabendo que íamos para um prédio de população exclusivamente masculina, logo se assanhavam e queriam ir junto. Essa era a nossa principal contribuição à causa revolucionária, como guias da massa feminina em direção à Casa do Estudante[9]."


Hospital psiquiátrico

O Estado de S. Paulo, 10 de janeiro de 1986
Carta de Martin Lings para Olavo de Carvalho (2 de junho de 1985)

Segundo o jornalista Renato Pompeu, Olavo de Carvalho foi seu colega no hospital psiquiatrico. Olavo saiu do hospital sem alta e dai em diante seguiu como guru astrológico e a se envolver com seitas religiosas[10]

"E finalmente o Olavo de Carvalho, que foi meu colega de internamento no hospital psiquiátrico, quando saiu do hospital, sem alta por sinal, saiu com alta a pedido porque os médicos não queriam deixar ele sair, virou o guru dos astrólogos aqui em São Paulo, começou a se envolver com seitas religiosas, vivia de explorar mulheres, teve sete, e faz mais de 30 anos que não trabalha. Então começou a se envolver com seitas barra pesada, deu uma entrevista na última página da antiga Folha da Tarde dizendo que estavam querendo matá-lo, porque na verdade ele estava numa seita que era uma quadrilha, discutiram lá por causa da partilha do saque e ameaçaram de morte. Como era conhecido como astrólogo, deu essa entrevista como se não tivesse nada a ver, dizendo que tinha descoberto coisas dessa seita e aí sumiu, desapareceu. Ninguém mais ouviu falar dele até que uns 15 anos depois ele aparece como filósofo no Rio criticando os intelectuais de esquerda por defenderem trombadinhas, metendo o pau nos que não permitem a liberdade de expressão dos racistas."[11]
"Conheci o sr. Olavo de Carvalho em 1974 ou 1975, quando ambos éramos internos do Instituto de Psiquiatria Comunitária, no Itaim-Bibi, em São Paulo, capital. Ambos sofríamos de problemas mentais. O Olavo era então jornalista do Jornal da Tarde e era de formação católica, tendo pelo menos um sacerdote na sua parentela próxima. Tinha tido algum tipo de ligação com a esquerda da luta armada".
"Destacava-se (...) por uma certa ambição de ser considerado um grande intelectual."
"Entretanto, o Olavo acabou saindo do hospital psiquiátrico sem alta médica, isto é, resolveu interromper o tratamento antes que os médicos o considerassem em plenas condições. Uniu-se a um psicoterapeuta argentino formado na Suíça, algo místico, que usava na terapia coisas como teias de aranha e pedras molhadas. Posteriormente, o Olavo começou a aparecer na imprensa paulistana como o principal astrólogo da cidade. Uniu-se a várias mulheres e teve filhos com algumas delas. Quem pode falar sobre essa fase do Olavo é o jornalista Leão Serva. Há muitos anos, na última página da Folha da Tarde, Olavo apareceu numa notícia denunciando que estava ameaçado de morte por uma seita religiosa com a qual mantivera contatos e que descobrira que era ligada ao crime organizado. Desde então não vi mais notícias sobre ele na imprensa de São Paulo, até que ele apareceu, muitos anos depois, na imprensa do Rio, como guru antiesquerdista."


Olavo de Carvalho, que chegou ao ponto de construir uma barca egípcia no porão de casa, no bairro Pinheiros, em São Paulo, cuja porta cerrou com tijolos e cimento, com o intuito de transmigrar para o outro mundo[12].

Astrologia

Astrólogo Olavo de Carvalho
Katia Ripani iniciou seus estudos de Astrologia na extinta Escola Júpiter de São Paulo em 1979, vindo a reencontrar seu professor, Olavo de Carvalho, em 1992, na Sociedade Brasileira de Astrocaracterologia

Olavo de Carvalho foi colaborador no primeiro curso de extensão universitária em Astrologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo para os formandos em Psicologia, do astrólogo, homeopata e psicólogo argentino Juan Alfredo César Müller, em 1979[13].

Olavo de Carvalho conheceu Juan Alfredo César Müller dentro do hospício. O astrólogo, homeopata e psicólogo argentino tratava seus pacientes com teias de aranha, pedras molhadas, tratamentos místicos e espirituais dentre outros métodos pouco heterodoxos.

Matéria de Olavo de Carvalho "Capitalismo e socialismo segundo a astrologia" na Revista Planeta

Em 1974 foram promovidos cursos de Astrologia na Livraria Zipak. O dono da livraria, Luis Pellegrini, diretor de redação da Revista Planeta entre 1975 e 1980, cedeu um espaço em seu estabelecimento para Olavo de Carvalho dar aulas de astrologia.

Olavo de Carvalho foi professor da Escola Júpiter, em São Paulo, da qual foi um dos fundadores, e da AstroScientia, no Rio de Janeiro. A astróloga Barbara Abramo, por exemplo, teve aulas com Olavo de Carvalho e estudou na Escola Júpiter.

Seita Tradição (tariqa dos irmãos Omar Ali-Shah e Idries Shah) e a fundação do Seminário de Filosofia

O "Instituto Olavo de Carvalho", na rua Visconde do Rio Branco, 449, Mercês, Curitiba, Paraná. Segundo Anselmo Heidrich, que participou do programa "Mídia Sem Máscara na TV", Olavo de Carvalho morou de favor na casa emprestada de um amigo em Curitiba

A reportagem "Tradição, a seita que extorque em dólares, agora caso de polícia",[16] publicada no jornal O Estado de S. Paulo em 10 de janeiro de 1986, diz que Roxane Andrade de Souza e Meri Angélica Harakava participaram da seita dos irmãos Shah em São Paulo.

(...) "naquele ano de 1973, e que depois se torno braço direito de Olavo de Carvalho, que levou todos para a Tarika do Sufismo e para o Tai Chi do Michel Veber. Curiosamente, muitos anos depois fui morar onde o Michel havia morado com a sua segunda esposa, também professora de Tai Chi, e que continuava no prédio, na Rua Souza Aranha, 140, Vila Olímpia, acho que se chamava Ismênia." (...) "Quando o Olavo e a Renata frequentaram lá, eu já não ia mais, só voltei um pouco quando entrei para a Tarika do Sufismo através do Amâncio, apesar de conhecer o Olavo há muito tempo, pois eu estudei astrologia com grandes mestres, desde 1977."


Segundo Olavo de Carvalho, Roxane Andrade de Souza foi membro da organização trotskista Liberdade e Luta (Libelu), na qual seu codinome era Cláudia.[17][18]

Olavo de Carvalho dizia nada ter a ver com a tariqa que participara e delatou os companheiros. Logo após fundou sua própria seita, fingindo ser professor de Filosofia. Segundo a reportagem da Revista Veja, de 9 de abril de 1980, com o título Alto astral: Já se faz horóscopo até por computador, Olavo de Carvalho cobrava caro por suas "aulas".[19]

Olavo de Carvalho passou por muitas escolas esotéricas, entre as quais a tariqa de Frithjof Schuon, a seita dos irmãos Shah e o Quarto Caminho do Gurdjieff.

Muhammed Ibrahim foi o nome que deram ao Olavo de Carvalho na tariqa do Schuon:

"Para os curiosos: Ao ingressar na tariqa do Schuon, recebi, como os demais membros, um nome PARA USO INTERNO NA ORGANIZAÇÃO, como é de hábito em qualquer sociedade esotérica. Esse nome era Mohammed Ibrahim. Quando saí da tariqa, recebi do Schuon uma PROIBIÇÃO FORMAL de usar esse nome. Isso foi em 1987. Trinta anos atrás."[20]


Olavo de Carvalho morava em Iguape, interior de São Paulo, e trabalhava na rua Vicente Prado, 110, no bairro Bela Vista, em São Paulo, que tinha sempre uma população flutuante de 15 a 20 pessoas morando na casa onde ele vivia com a mulher Roxane Andrade de Souza e os filhos. Os filhos de Olavo de Carvalho dormiam no porão da casa, todos no mesmo quarto, quando não tinham dinheiro para voltar à Iguape. A alegação dos "alunos" para passarem dias ou mesmo meses com Olavo de Carvalho é que as aulas acabavam tarde e ficava difícil voltar para casa, às vezes, em outra cidade. Um destes frequentadores informou à polícia que ninguém tinha quarto privativo e todos se acomodavam como dava.

Doação do acervo da seita Tradição à biblioteca municipal de Boituva

O acervo com mais de dois mil livros de assuntos controversos, como livros místicos e de auto-ajuda, do acervo pessoal do advogado Fausto Thame, um dos dirigentes da seita Tradição em São Paulo, contendo ainda cópias do portfólio da vida profissional da psicóloga Marisa Cristina Thame, filha de Fausto Thame e funcionária da editora Dervish International, foram doados à biblioteca municipal de Boituva, interior de São Paulo, em 27 de junho de 2009.[21][22]

Exercício do necrológio

O exercício do necrológio, o primeiro e o mais importante exercício do Seminário de Filosofia, é o seguinte:

"Cada um de vocês vai supor que morreu, e que você é um amigo seu, uma pessoa que o conheceu e que irá escrever o seu necrológio. Um necrológio é uma breve narrativade de toda a sua vida. Você vai supor que durante a sua vida você realizou o melhor de si, e que todas as suas aspirações mais altas foram realizadas de alguma maneira.
Esse seu amigo vai então contar brevemente a sua vida como se estivesse escrevendo uma carta a um terceiro amigo: "ontem morreu fulano de tal, e durante a vida ele fez isso, e aquilo, e etc." Ou seja, você vai contar sua vida ideal.
Isso tem de ser feito com extrema sinceridade e seriedade: você vai mostrar para você mesmo quem você quer ser. É claro que essa imagem muda ao longo do tempo; o seu projeto de vida vai sofrer muitas alterações, aprofundamentos, correções e, sobretudo, amputações. Mas isso não interessa. O que interessa é que ele vai ser a imagem que vai te orientar durante toda a sua vida."


Viagem para a tariqa de Frithjof Schuon (Bloomington, Indiana, Estados Unidos)

Olavo de Carvalho é chamado de professor, de filósofo e de jornalista por beócios na Internet, mas não é professor universitário, não é formado em Filosofia e não possui registro de jornalista no site do Ministério do Trabalho e Emprego.[23]

Olavo de Carvalho vendeu antecipadamente a seus "alunos" uma viagem até os Estados Unidos com fins de "autoconhecimento espiritual". Pegou o dinheiro das passagens e das hospedagens e sumiu com tudo, nunca devolvendo o dinheiro nem entregando a viagem prometida. Este novo crime causou revolta entre seus "alunos", entre eles Liana Dines, filha do Alberto Dines, que processou o Olavo de Carvalho por apropriação indébita.[24][25]

Olavo de Carvalho enganou muitas pessoas por muito tempo. Foi por causa dessa ação penal que o Olavo de Carvalho se mudou para o Rio de Janeiro. Ele havia enganado a filha do jornalista Alberto Dines e muitos jornalistas souberam disso.

No Rio de Janeiro, Olavo de Carvalho se associou ao empresário judeu Ronald Levinsohn, que deixou três milhões de brasileiros sem as suas economias.

Ata da reunião do Seminário de Filosofia do Olavo de Carvalho em 16 de junho de 1990

Olavo de Carvalho, que foi discípulo dos irmãos Omar Ali-Shah e Idries Shah,[27][28] foi um dos membros fundadores da Tariqa Maryamiyya no Brasil, a primeira tariqa trazida ao Brasil por brasileiros, em 1987, que foram para Bloomington, Indiana, nos Estados Unidos, e se iniciaram com o Xeique Frithjof Schuon e com o literato Martin Lings. Algumas viagens ao exterior, a título de viagens espirituais, eram fachada para remessas de tapetes e outras mercadorias importadas de maneira camuflada para enganar o fisco.

A Tradição Secreta da Magia, de Idries Shah, é um compêndio de grimórios de magia branca e negra

A Tariqa Maryamiyya, um ramo da Tariqa Alawiyya, possui duas sedes no Brasil, uma no município de São José dos Campos, no estado de São Paulo. Uma das sedes brasileiras está ligada à sede de Londres, que era dirigida pelo literato Martin Lings (Abu Bakr Siraj Ad-Din), que morreu em 12 de maio de 2005,[29] e a outra é ligada à sede de Washington, D.C., dirigida pelo filósofo Seyyed Hossein Nasr.

Folha de S. Paulo, 11 de janeiro de 1986

Esta tariqa tinha a seguinte particularidade: seus integrantes tinham que levar suas esposas para serem submetidas sexualmente ao Xeique. Pessoas solteiras, mesmo homens, poderiam se entregar sexualmente ao Xeique.

Segundo Frithjof Schuon, que misturava islamismo, hinduísmo e xamanismo, a nudez sagrada tem um papel importante entre os hindus e entre os índios americanos, e a nudez feminina em particular manifesta Lakshmi.

Em toda a América do Norte foi observada a prática de sodomia entre as tribos nativas. O travestismo era comum em tribos como os Sioux. Na América do Sul, em tribos de caçadores, os homens que não gostassem de desempenhar o papel social de seu gênero poderia juntar-se às mulheres nos afazeres da agricultura e cuidados domésticos. Para participar do grupo feminino deveria deixar os cabelos alongados e ser passivo no sexo.

Frithjof Schuon com roupas de índio

No Dossier Affaire Schuon, em francês, existem detalhes sobre a passagem de Sidi Muhammad (Olavo de Carvalho), líder do grupo de brasileiros, pela tariqa de Frithjof Schuon, em Bloomington, nos Estados Unidos.

Segundo o jornal The Blade (Toledo Blade), de 16 de outubro de 1991,[30] e o livro Sacred Drift - Essays on the Margins of Islam, de Peter Lamborn Wilson, de 1996,[31] Frithjof Schuon foi acusado, frente ao Grande Júri, de conduziu seus discípulos em cerimônias de índios americanos, centralizadas ao redor da "nudez sagrada" e de abusar sexualmente das esposas e filhas dos discípulos.

"Numa série de artigos do jornal Herald Times, de Bloomington, Indiana (de 15 de Outubro de 1991 a 24 de Novembro de 1991), pudemos seguir a trajetória do aparecimento de Schuon frente ao Grande Júri, acusado de abuso de crianças e fraudes.
É alegado que, como 'Xeique Issa da Ordem Sufi Maryami' (Mestre Jesus da Ordem Sufi Mariana), Schuon conduziu seus discípulos em cerimônias de índios americanos, centralizadas ao redor da 'nudez sagrada' e também que ele havia 'abusado sexualmente' das esposas e filhas de discípulos. As acusações acabaram sendo arquivadas por falta de evidências e o Promotor do caso foi demitido pelo governador do estado. O Grande Juri, num movimento sem precedente, então se recompôs e tentou investigar ainda mais. O grupo Schuon ameaçou entrar com maiores ações legais em Janeiro de 1992."[31]


Carta de Martin Lings para Olavo de Carvalho (17 de março de 1986)
Carta de Martin Lings para Olavo de Carvalho (24 de março de 1986)

Em 8 de janeiro de 1986, em coautoria com Mateus Soares de Azevedo, Olavo de Carvalho recebeu o Prêmio do Concurso de Monografias sobre a vida do profeta Muhammad, do Centro Islâmico do Brasil, em Brasília.

Prêmio do Concurso de Monografias sobre a vida do profeta Muhammad do Centro Islâmico do Brasil (Brasília, 8 de janeiro de 1986)
Prêmio do Concurso de Monografias sobre a vida do profeta Muhammad do Centro Islâmico do Brasil (Brasília, 8 de janeiro de 1986)

Na Romênia

Olavo de Carvalho, que não possui sequer o ensino fundamental, foi Secretário-geral da Fundação Brasil-Romênia, em Bucareste, e é grão-mestre da maçonaria, estando vinculado a uma loja maçônica na Romênia.

No Rio de Janeiro (na UniverCidade)

Olavo de Carvalho estudou no Conpefil (Conjunto de Pesquisa Filosófica) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro por três anos, sob a direção do Prof. Pe. Stanislaus Ladusãns, mas após a morte do diretor em 25 de julho de 1993 e da posterior extinção do Confepil, Olavo não concluiu o curso.

Em 1997 Olavo de Carvalho concedeu entrevistas para o programa Mistério, da Rede Manchete, se apresentando como "filósofo especialista no estudo das religiões comparadas":

Em 1997 Olavo de Carvalho morou no edifício conhecido como "Favelão", na Rua das Laranjeiras, número 336, no Rio de Janeiro (RJ). Laranjeiras é um bairro nobre da Zona Sul do Rio de Janeiro. Estão situados no bairro o Palácio Guanabara, sede do governo do estado, e o Palácio Laranjeiras. Na Rua das Laranjeiras, 346, Rio de Janeiro, fica a sede do Clube Hebraica Rio.

Olavo de Carvalho foi diretor da Editora UniverCidade, entre 1999 e 2001, do empresário Ronald Levinsohn.[32]

Processo do Olavo de Carvalho contra a Revista Bundas, do cartunista Ziraldo

Depois de virar editor-chefe do Mídia Sem Máscara

Depois de ter sido astrólogo, Olavo de Carvalho renegou sua fase mística e esotérica islâmica e tornou-se um bom cristão, católico de carteirinha, conservador, defensor da ortodoxia da Igreja Católica, de seus dogmas, de seus conceitos e preconceitos, do sionismo, do capitalismo, do livre mercado, do neoliberalismo e do macartismo.

Olavo de Carvalho, depois do desaparecimento de anos que se seguiu ao envolvimento com a seita de Idries Shah, cuja repercussão foi grande e exigiu um período de quarentena, até porque depois disso se tornou muqqadam da tariqa de Schuon no Brasil, reapareceu graças às redes sociais, que a sua seita soube tão bem explorar.

Operando em conjunto, o grupinho em torno do Olavo, ou seja, o conjunto formado pelos indivíduos que o conhecem há mais de uma década e hoje estão à frente do Instituto Lux et Sapientia, do Instituto das Artes Liberais, do Seminário de Filosofia, do Mídia sem Máscara[33][32] e outras organizações, com algumas adições que foram sendo feitas nos últimos anos, tratou de se auto-promover criando uma rede que participava em vários grupos de discussão usando a técnica de citarem uns aos outros como se fossem grandes autoridades, para criar a autoridade antes inexistente, aumentando a eficácia dessa estratégia recorrendo à criação de perfis falsos. Assim, construindo falsas maiorias e avançando em conjunto com a sua pequena máfia contra qualquer indivíduo que lhe fizesse frente, se foi gerando o fenômeno Olavo de Carvalho.

Olavo de Carvalho e Rick Santorum, do Opus Dei e do Partido Republicano dos Estados Unidos (Junho de 2002)

O Roda Viva, por exemplo, clássico programa de entrevistas pelo qual já passaram grandes pensadores, se tornou porta voz da revista Veja quando foi assumido por Augusto Nunes. E tudo isso passa, de alguma forma, pelo crescimento de Olavo de Carvalho.[34]

Segundo Bertone Sousa,[35] Olavo de Carvalho é incapaz de conviver com ideias diferentes. Essa sua incapacidade, no entanto, é algo que marca toda a sua trajetória de vida, se traduzindo em uma profunda intolerância a qualquer pensamento divergente do seu.

No Mídia sem Máscara, vários colunistas expõem todo tipo de pensamento preconceituoso, tacanho e reducionista travestidos de "jornalismo". O Mídia Sem Máscara,[33][32] fundado em agosto de 2002 por Olavo de Carvalho. Foi financiado pelo International Republican Institute (IRI), pelo Opus Dei e pela É Realizações. Segundo Luísa Roxo Barja, havia um destaque no "MSM indica" para o site sionista De Olho na Mídia,[33] que afirmava ser a versão brasileira do HonestReporting.com, analisando notícias do conflito Israel-Palestina.

O Mídia Sem Máscara possui entre seus aliados a ex-diretora da ANAC Denise Abreu, que responde um processo criminal por diversos crimes, entre eles pelo crime de atentado contra a segurança do transporte aéreo.

A aparente conversão ao catolicismo sem dúvida abriu muitas portas para o Olavo de Carvalho. O cristianismo, ainda que esteja em curva descendente e perdendo fiéis, possui ares de muito maior respeitabilidade que a astrologia e um público muito maior, e a Igreja Católica possui uma estrutura muito mais organizada e hierarquizada que o islamismo ou qualquer outro grupo de crentes.

Posicionar-se a favor da Igreja Católica garante o apoio tácito ou explícito de uma grande organização que, no cenário interno do cristianismo, está rapidamente perdendo fiéis e dízimos para inúmeras outras organizações menos engessadas teologicamente e ainda menos preocupadas em manter a aparência de seriedade teológica, dispostas a todo tipo de extravagância para conquistar a fidelidade de incautos simplórios.

Noutras palavras, a Igreja Católica provê um bom contingente de defensores em potencial para um arauto da moralidade e da ortodoxia cristã, sem o inconveniente de sujeitar-se aos humores de algum líder personalista e com estratégias provavelmente mais voláteis de gerenciamento de seu mercado de dízimos ou de zakat. Ou seja, a Igreja Católica representa um mercado sólido e estável a partir do qual sempre é possível pular para o terreno do protestantismo neopentecostal caso alguma coisa saia errada.[36]

Olavo de Carvalho professa um cristianismo abstrato. Manifesta sua fé sem jamais dizer à qual confissão de fé pertence. Ninguém pode ser católico tendo tido três mulheres. Muito menos ser astrólogo e católico ao mesmo tempo.[37]

Rodrigo Constantino (Revista Veja, 9 de março de 2013)

Segundo o Diário do Centro do Mundo, a Revista Veja não quer correr o risco de colocar o Olavo de Carvalho em pessoa em suas páginas, por ser um nome universalmente abominado e desprezado fora de um pequeno círculo de pessoas alienadas conhecidas como olavetes (um neologismo formado pelas palavras Olavo e chacrete).[38][39]

Segundo documentos divulgados pela Naspers, em dezembro de 2005, a Editora Abril tinha uma dívida liquida de aproximadamente US$ 500 milhões, com a família Civita detendo 86,2% das ações e o grupo estadunidense Capital International, 13,8%. A Naspers adquiriu em maio último todas as ações da empresa ianque, por US$ 177 milhões, mais US$ 86 milhões em ações da família Civita e outros US$ 159 milhões em papéis lançados pela Abril. O negócio da Abril com o Naspers só se tornou possível com a aprovação em 2002 da emenda constitucional que permitiu a entrada nas empresas de mídia de investimentos estrangeiros na proporção de até 30%.

A Editora Abril publica a Revista Veja, de viés de direita, e a Revista Carta Capital, de viés de esquerda. A Naspers é um grupo empresarial sul-africano que apoiou, durante décadas, o Regime do Apartheid.

Reinaldo Azevedo, por exemplo, foi chefe do Olavo de Carvalho na Revista Bravo.

Em 19 de novembro de 2003, Olavo de Carvalho participou de um debate, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, com o professor Alaor Caffé Alves. Olavo de Carvalho saiu do auditório vaiado, chamado em coro de fascista, por tentar aplicar os estratagemas da dialética erística.

Em 24 de maio de 2004, antes de fugir do Brasil para não ser investigado por crimes tributários, Olavo de Carvalho deu uma palestra no Clube Hebraica, em São Paulo, intitulada O Totalitarismo Islâmico: Herdeiro do Comunismo e do Nazismo.

Segundo Lucas Patschiki, a UnoAmerica e o Fuerza Solidária contam com a participação de membros do Mídia Sem Máscara, especialmente do Olavo de Carvalho e do Heitor de Paola.[32] Em 3 de março de 2009, Alan Keyes, Olavo de Carvalho e Alejandro Peña Esclusa reuniram em um hotel em Washington D.C. para uma conversa informal sobre a América Latina.

Em julho de 2010, Alejandro Peña Esclusa foi preso em flagrante após ter sido delatado, em depoimento à polícia, por Francisco Chávez Abarca, depois da polícia ter encontrado explosivos, detonadores e munição na casa dele.[40] Olavo de Carvalho gravou um apelo urgente pedindo a libertação de Alejandro Peña Esclusa para Hugo Chávez, presidente da Venezuela.[41]

O Heitor de Paola possui conexões com o Grupo brasileiro de Articulação Sionista (ArtiSion) e o Olavo de Carvalho com a Organização Sionista do Rio Grande do Sul (Rua Felipe Camarão, 487 - Porto Alegre - RS). A Organização Sionista do Rio Grande do Sul é uma filial brasileira do WZO (World Zionist Organization).

Alejandro Peña Esclusa é suspeito de um plano para assassinar o Papa João Paulo II na Venezuela em 13 de novembro de 1984.

Em 2011, Olavo de Carvalho, que vinha trabalhando como diretor editorial informal e conselheiro geral da É Realizações, rompeu relações com o empresário Edson Filho, que é casado com Angela Zogbi de Oliveira, de uma rica família de empresários e banqueiros. Edson Filho, dono da É Realizações, de boa fé, emprestou a Olavo de Carvalho vultosa quantia em dólares para que ele realizasse obras em sua nova casa, na área rural da Virgínia. Como vingança por ter sido enganado, Edson Filho criou o site Mídia a Mais para concorrer com o Mídia Sem Máscara.

Em 26 de fevereiro de 2014, Marco Feliciano discursou na Câmara dos Deputados contra a divulgação de processos antigos do réu Olavo de Carvalho na Internet.[42]

Olavo de Carvalho durante o lançamento da Revista Vila Nova no auditório da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP)

Olavo de Carvalho, que foi astrólogo, dono de tariqa e líder de seita, é um vagabundo, oportunista, buscando o dinheiro fácil de paranoicos que sustentam seus empreendimentos.

Sionismo

Olavo de Carvalho é abertamente a favor de Israel e contra o povo palestino. Defende que o estado terrorista sionista, devido à propaganda chamada de Holocausto, tem direito de ocupar a Palestina e que o governo judaico deve expulsar os nativos palestinos para assim fazer espaço aos judeus[43], afirmando ainda que quem é contra Israel também é contra os direitos humanos e a humanidade. Acusa quem é contra o estado terrorista de Israel de ser "antissemita", fazendo confusão com o termo antissionista. Apesar de alegar não ser sionista, Olavo de Carvalho possui um certificado de sionista, no qual os sionistas da Organização Sionista do Rio Grande do Sul agradecem pela divulgação da causa judaico-sionista.[44].

Segundo Olavo de Carvalho:

"Tenho estudado bastante a questão do anti-semitismo; algumas entidades judaicas já me ouviram falar a respeito e sabem que não sou, no assunto, nenhum novato, nenhum ingênuo, nenhum palpiteiro leviano."[45]


"O elemento durável e decisivo na História são as religiões: o Estado, a nação e, no fim das contas, tudo o que hoje se denomina "política" são apenas a espuma na superfície de uma corrente que se constitui, em essência, da história das religiões, tomado o termo num sentido amplo que abrange os movimentos ocultistas e esotéricos, incluindo os que se travestem de materialistas e agnósticos (o marxismo é o exemplo mais nítido: leiam Marx and Satan, do pastor Richard Wurmbrand, e To Eliminate the Opiate,[46] do rabino Marvin Antelman, e entenderão do que estou falando)."
"Quando o Todo-Poderoso concedeu a Israel o privilégio de ser, entre todos, o povo portador da mensagem divina, Ele não o fez a título parcial e provisório, mas totalmente e de uma vez para sempre."[47]


"Não há desculpa alguma para não entender que judeus renegados como Karl Marx, Leon Trotski, Karl Radek, Georg Lukacs e os frankfurtianos estão incluídos na definição. Na URSS do tempo de Lênin, os membros da famigerada Seção Judaica do Partido Comunista se prevaleciam de sua origem familiar para poder espionar e denunciar os líderes religiosos judeus, como hoje tantos se valem da condição nominal de "judeus" para poder fazer propaganda anti-israelense sem deixar de beneficiar-se, quando lhes interessa, da proteção e da ajuda paternal da própria comunidade judaica."


Ideologia

Direita

Olavo de Carvalho é um dos membros mais influentes da direita no Brasil, alcançando mais de 500 mil seguidores em suas redes sociais[48].

Esquerda

Aula da professora olavete Ana Caroline Campagnolo Bellei aos alunos da 8ª série

Olavo de Carvalho se mostra cotra a esquerda. Segundo ele o Fascismo, o Nazismo e o Nacional-Socialismo é semelhante ao comunismo e que todos são de esquerda[49]. Segundo a professora olavete Ana Caroline Campagnolo Bellei, em uma aula aos alunos da 8ª série:

"A ideologia nazista era baseada no comunismo como afirmava o próprio Hitler ao dizer: "aprendi muito com o comunismo." Podemos encontrar muitas das ideias do nazismo descritas no livro "Mein Kampf" (Minha Luta) do chanceler da Alemanha. Iniciado na Alemanha uma década após a Revolução Socialista da Rússia, a ideologia nazista se assemelhava profundamente ao comunismo. Na Russia encontramos um socialismo que pretendia ser internacional, enquanto o socialismo alemão era nacional. Enquanto o comunismo pretende criar um novo homem baseado numa falsa sociologia, o nazismo espera o surgimento de um novo homem com base em uma falsa biologia. Os dois, no entanto, ambicionam ser científicos (ter respaldo na ciência)."


Israel

Olavo em uma publicação acerta do antisemitismo em sua página do Facebook.

De acordo com Olavo de Carvalho, Israel e Palestina não estão em guerra e é a favor do expansionismo judaico na região[50]; além disso, segundo ele, Israel e EUA são os países que impedem que a Nova Ordem Mundial seja estabelecido. Apesar de seu apoio ao sionismo ele é contra a esquerda, cujos membros do comunismo eram a maior parte judeus[51]

Caça de ursos

Desde meados de 2014, Olavo de Carvalho tem feito apologia à caça aos ursos em sua página no Facebook, atitude que lhe fez perder muitos seguidores. Seu filho Pedro de Carvalho gravou um vídeo de um pequeno urso abatido e compartilhou.

Olavo ursos.jpg

A caça esportiva é uma atividade extremamente cruel e covarde onde o homem, munido de armas pesadas, se gaba de abater um animal indefeso. Não importa se é um urso, um leão ou um elefante pesando toneladas. Um rifle é uma arma rápida e letal transformando qualquer fera em um animal desprotegido.[52]

Segundo estudos do FBI, cerca de 80% dos psicopatas começam a carreira matando animais. Por isso, em países como Estados Unidos da América e Inglaterra, os matadores de animais já são tratados e julgados de forma diferenciada que avança para muito além do crime de maus-tratos a animais. Nesses locais já se entende que deter esses indivíduos ou monitorá-los, quando começam a matar animais na infância, representa uma medida preventiva, de proteção não somente aos animais, mas a toda a sociedade.[53]

Mídia Sem Máscara

Ver artigo principal: Mídia Sem Máscara

O Mídia Sem Máscara, fundado em agosto de 2002, cujo editor-chefe é o Olavo de Carvalho, é um site que reúne a escória da Internet brasileira e a nata do conservadorismo dos Estados Unidos. Fazem parte do mesmo empreendimento a Rádio Vox e o True Outspeak. Segundo Bertone Sousa,[35] as olavetes desprezam a universidade porque são impostores. As olavetes não estão comprometidas em produzir conhecimento, mas em espalhar desinformação. Espalhar desinformação é algo que o Olavo de Carvalho tem feito há décadas. As olavetes são limítrofes e pedantes. São o que há de pior e mais baixo na sociedade brasileira.

Escolaridade

O Olavo de Carvalho não possui sequer o ensino fundamental, mas...

Facebook, 5 de novembro de 2013
Revista República, Julho de 1997
Documento da Polícia Civil de São Paulo de 1989

O Olavo de Carvalho mentiu para a polícia?

Principais bandeiras do Olavo de Carvalho e das Olavetes

Criacionismo

Holly Fisher
Marco Feliciano recebeu das mãos do reitor da FATECAMP o título de Doctor Philosophiae

O Olavo de Carvalho é defensor do criacionismo e possui até verbete na CriaçãoWiki.

Segundo o engenheiro José Colucci Júnior, o criacionismo é a noção de que os seres vivos foram criados tal qual são pelo criador onipotente.

Uma vez que os criacionistas não fazem ciência, e não contam com o suporte de evidências, pesquisas e teorias minimamente plausíveis, sua obsessão é criticar a evolução e os evolucionistas, ou o que percebem como falhas nestes. Para essa tarefa contam com a ajuda ocasional de um ou outro ignorante em ciência que os defende na imprensa com fervor religioso. No Brasil o Olavo de Carvalho se presta a esse papel.

O Olavo de Carvalho diz que o evolucionismo foi o pai do comunismo e do nazismo. A influência dominante no nazismo é o chamado darwinismo social, uma ideologia racista que Olavo de Carvalho confunde com o darwinismo propriamente dito.

Em notável contorcionismo verbal, o Olavo de Carvalho tenta demonstrar que o darwinismo contribuiu para o extermínio das vítimas do nazismo e do comunismo. Diz ainda que o ideal anti-religioso de Richard Dawkins foi posto em prática por ambos, causando a morte de padres, rabinos, pastores e devotos.

A maioria dos criacionistas não chega a graduar-se em ciências naturais. Um geólogo que pense que o universo foi criado em sete dias ou uma bióloga que acredite que Deus fez o homem do barro não têm muito a acrescentar ao único livro de sua bibliografia.[54]

Marco Feliciano, amigo do Olavo de Carvalho, foi autor do projeto de lei 8.099/2014 para inserir na grade curricular das redes pública e privada de ensino conteúdos sobre criacionismo.


Geocentrismo

Olavo de Carvalho afirmou que a teoria da relatividade de Albert Einstein, um dos dois pilares da física moderna, foi criada para salvar as aparências do heliocentrismo e chegou a dizer que Albert Einstein julgou que "era preferível modificar a física inteira só para não admitir que não havia provas do heliocentrismo". Para sustentar seu argumento, Olavo de Carvalho usou como referência a famosa experiência feita por Michelson e Morley, que indica que a velocidade da luz no vácuo é independente do observador.

Olavo de Carvalho sugeriu que a constância da velocidade da luz detectada por Michelson e Morley evidencia que a Terra é um referencial privilegiado, o que daria suporte ao modelo geocêntrico.

A teoria da relatividade restrita de Albert Einstein não se justifica a partir de um único experimento. Qualquer experiência (e são muitas!) realizada em aceleradores de partículas precisa levar em conta efeitos relativísticos de dilatação do tempo. Além disso, Albert Einstein não modificou a física inteira e jamais teve essa pretensão. Pelo contrário, há motivações filosóficas em seu trabalho que claramente sustentam o seu compromisso com o conhecimento então vigente de física teórica. O que Albert Einstein fez foi um processo de unificação entre mecânica e eletrodinâmica, criando a teoria da relatividade restrita, cujas leis são invariantes sob transformações de Henri Poincaré e que, sob regime de baixas velocidades, apresenta uma equivalência (em escalas experimentais, sob margens de erro toleráveis) a certos aspectos da mecânica newtoniana. Ou seja, Albert Einstein manteve a eletrodinâmica clássica intocável.

Olavo de Carvalho deveria saber que a física não se resume à mecânica, mas como ele não completou o quarto ano do ensino fundamental...

Na mesma palestra Olavo de Carvalho admitiu não entender a noção de curvatura do espaço-tempo (presente na teoria da relatividade geral), no entanto, não hesitou em criticar essa ideia também. O fato de ele não compreender uma ideia parece ser justificativa suficiente para rejeitá-la. Isso por si só revela uma perigosíssima presunção.

Apesar de Olavo de Carvalho não mencionar explicitamente sobre a teoria da relatividade geral, discursou sobre curvatura do espaço-tempo, negando-a. Isso também revela uma grave desordem mental.


Ensino doméstico, Ensino domiciliar ou Homeschooling

Palestra do praticante do ensino doméstico Gustavo Bragatto Abadie, pastor na Comunidade Evangélica Livre de Porto Alegre, e da esposa dele, Camila Hochmüller Abadie

Ensino doméstico, Ensino domiciliar ou Homeschooling é crime no Brasil, previsto no artigo 246 do Código Penal e ocorre quando o pai, mãe ou responsável deixa de garantir a educação primária de seu filho. A criminalização da conduta tem como principal objetivo coibir a prática e garantir que toda criança tenha direito à educação.[55]

A Desescolarização, chamado em inglês de Unschooling, é um dos métodos do ensino doméstico, um movimento contrário à ideia de que adquirir conhecimento dentro da escola é a única maneira de chegar ao sucesso profissional. Adeptos do conceito valorizam oportunidades educacionais ocorridas fora da escola, em casa, na comunidade, na Internet, em qualquer lugar. Criado na década de 1970, o termo incentiva a exploração das atividades domésticas realizadas pelas crianças, assim como sua curiosidade a respeito de qualquer tema, os livros que lê e até mesmo seus jogos preferidos.

No Brasil o ensino é obrigatório entre os 4 e 17 anos. Os pais ficam responsáveis por colocar as crianças na educação infantil a partir dos 4 anos e por sua permanência até os 17 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional). O artigo 1.634 do Código Civil Brasileiro diz que compete aos pais, quanto aos filhos menores, dirigir-lhes a criação e a educação. O artigo 22 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) diz que aos pais incumbe o dever de sustento, guarda e educação dos filhos menores. E o artigo 55 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) diz que os pais ou responsáveis têm a obrigação de matricular seus filhos na rede regular de ensino. No Brasil, é obrigatória aos pais a matrícula dos filhos na educação básica.

Segundo parecer do Conselho Nacional de Educação, a adoção da educação domiciliar dependeria de manifestação do legislador, que viesse a abrir a possibilidade, segundo normas reguladoras específicas.

Em função da imposição legal à matrícula dos filhos, o próprio Poder Público, inclusive o Ministério Público, pode compelir judicialmente a matrícula de menores de idade em instituições de ensino. Além disso, os pais podem ser processados criminalmente por não levarem os filhos à escola, pelo crime de abandono intelectual, tipificado no artigo 246 do Código Penal Brasileiro. A criminalização auxilia o combate à evasão escolar.

O ensino doméstico também é proibido em países como a Alemanha e a Suécia.

Nos Estados Unidos da América, onde o ensino doméstico é permitido, a maioria das unidades federativas exigem que os pais dos alunos enviem uma notificação de intenção se optarem pelo aprendizado escolar domiciliar. No estado da Carolina do Norte, por exemplo, a notificação de intenção deve ser enviada à Divisão de Educação Privada da Carolina do Norte. O capítulo 115C, parágrafo § 115C-563, dos Estatutos Gerais da Carolina do Norte,[56] define o aprendizado escolar domiciliar como uma escola privada na qual uma ou mais crianças de não mais de duas famílias ou casas recebem instrução acadêmica dos pais ou tutores legais ou membros de uma das casas:

""Home school" means a nonpublic school consisting of the children of not more than two families or households, where the parents or legal guardians or members of either household determine the scope and sequence of academic instruction, provide academic instruction, and determine additional sources of academic instruction."


Na Alemanha tirar as crianças de determinadas aulas também é ilegal. O objetivo do governo alemão é suprimir a existência das Parallelgesellschaften (sociedades paralelas) baseadas em convicções filosóficas separadas por meio do sistema educacional.

O objetivo do Homeschooling é proteger os adultos da indiscrição das crianças.[57][58]

Caso Julio Severo

O cidadão identificado pelo pseudônimo Julio Severo, autor do livro O Movimento Homossexual, da Editora Betânia, e colunista do Mídia Sem Máscara, teria fugido do Brasil em março de 2009 para escapar do Ministério Público Federal. Ao alegar como motivo para sua fuga tão somente a sua militância antigay, Julio Severo falta com a verdade. O pior de tudo é que boa parte de seus defensores, de forma precipitada, compraram essa mentira e passaram recibo de ingenuidade. Mas fontes de seu convívio pessoal relatam que, em verdade, seus problemas com a lei começaram quando um de seus filhos passou a apresentar comportamento estranho na escola onde estudava em Niterói, no Rio de Janeiro, replicando o mesmo pensamento ultraconservador do pai nas atividades escolares.

Modelo alemão: A Cientologia é monitorada na Alemanha

Ameaça publicada no YouTube

Na Alemanha membros da Cientologia estão constantemente sob vigilância do Bundesamt für Verfassungsschutz (BfV) (Escritório Federal para Proteção da Constituição), cujo trabalho é monitorar atividades antidemocráticas. Para o diretor da Associação Alemã de Professores de Escolas Primárias, aulas particulares conduzidas por cientologistas podem tirar vantagem da vulnerabilidade das crianças com dificuldades de aprendizado, que podem se sentir inferiores, o que as torna mais influenciáveis. A qualidade do ensino é, de um modo geral, muito boa e os custos são acessíveis, no entanto, os professores encorajam os estudantes a participar de outras classes, frequentemente muito mais caras, prometendo transformar o aluno em uma nova pessoa.[59]

Saiba mais:


Escola Sem Partido

Segundo Bertone Sousa,[35] Olavo de Carvalho atribui os problemas educacionais do Brasil unicamente à esquerda e omite o fato de que foi o regime militar que sucateou o ensino de humanidades no Brasil, excluindo dos currículos disciplinas como línguas clássicas e francês, além de filosofia e sociologia e reduzindo inclusive o ensino da língua portuguesa. Qualquer um que seja minimamente informado sabe que o Olavo de Carvalho mente. Olavo de Carvalho também mente quando diz que o governo americano não teve participação no golpe de 1964. A CIA financiava órgãos como o Instituto Brasileiro de Ação Democrática (IBAD) e o Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais (IPES). E quem estava na linha de frente desse processo era o mesmo Golbery do Couto e Silva que criou a doutrina da "segurança nacional" para legitimar o golpe.

ZOG

A diretoria do Colégio Andrews, no Rio de Janeiro, demitiu, de forma sumária, um de seus professores, em 2014, causando perplexidade e indignação.

A demissão de um professor por trabalhar contextos sociais e históricos passíveis de debates e de diferentes opiniões em provas é um absurdo, na medida em que o mesmo não teve seus direitos preservados e teve sua figura exposta de forma constrangedora, ferindo sua integridade pessoal e profissional.

Classificar a condenação ao massacre dos palestinos pelo atual governo do Estado de Israel como antissemitismo é um erro. Já são públicas as manifestações de vários intelectuais e setores da sociedade israelense com críticas ao governo de Israel, expressando livremente diferentes posicionamentos, especialmente no que se refere aos ataques a civis palestinos.

Não há discriminação em identificar criticamente a agressão presente naquele Estado ao povo palestino. Condenar e censurar textos ou charges que expressem tal interpretação daquela realidade geopolítica, classificando-os como inadequados, é manipulação da prática pedagógica e um ataque à liberdade de expressão e opinião dos professores.

A demissão no Colégio Andrews teve motivação política e financeira.[60]


Wolfolavo 3D e TheRealTalk.org

Olavo de Carvalho é autor de outros projetos, como o jogo Wolfolavo 3D[61] e o TheRealTalk.org, uma rede social lançada em 10 de agosto de 2015, que utiliza a plataforma Diaspora.


Hipocrisia (olavetes contra a meritocracia)

Thomas Piketty na USP

O economista francês Thomas Piketty esteve na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), em 26 de novembro de 2014. Thomas Piketty ganhou destaque internacional com o livro O Capital no Século XXI, publicado em 2013, no qual aborda questões como concentração da riqueza e aumento da desigualdade.

Para Thomas Piketty, o Governo brasileiro poderia aumentar a arrecadação de impostos reduzindo a carga tributária se criasse faixas superiores para o imposto de renda. O problema da progressividade nos impostos também está no imposto sobre a herança.[62]

Alan Keyes, amigo do Olavo de Carvalho, acredita que um imposto nacional de vendas colocaria mais dinheiro de volta nos bolsos dos consumidores, permitindo que eles decidissem como gastá-lo. Alan Keyes diz que o imposto de renda (IRS) deveria ser substituído pelo imposto sobre o consumo.


Experiências de quase morte

Aqueles que afirmam ter tido experiências de quase morte comumente relatam fenômenos tais como ver-se fora do seu próprio corpo, mover-se através do que parece ser um túnel, ou em direção a uma luz brilhante. Como aqueles que morreram não podem falar se é isso mesmo que acontece, reivindicações como estas são naturalmente mais complicadas de confirmar ou negar. Algumas pesquisas sugerem, no entanto, que tais experiências são na verdade o resultado de um mecanismo de enfrentamento adotado pelo cérebro, no qual endorfinas adicionais são liberadas. Se for este o caso, então é menos uma questão de fé, e mais uma questão bioquímica.


Arrecadação de dinheiro dos trouxas pela Internet

O Olavo de Carvalho divulgou a seguinte mensagem de e-mail recebida em 7 de janeiro de 2015:

"Prezado Olavo de Carvalho,
Gostaríamos de corrigir uma informação a respeito de um mal entendido sobre o "The Washington 'Conclave' for Democracy".
Entramos em contato com o Alex Pereira da Rádio Vox para confirmar se o senhor sabia sobre esse evento e ele respondeu que o senhor não sabia, mas, no entanto, ele pensou que eu me referia a se o senhor participaria do 'Conclave da Igreja Católica'.
Foi um mal-entendido!
Nós entramos em contato com o senador norte-americano Marco Rubio (citado no site oficial do evento), e sua porta-voz nos respondeu que ele não sabe nada sobre o evento (ver anexo).
Entretanto, no website do Conclave, o organizador afirma que ícones políticos - Rubio, Uribe, etc - participarão do evento e o mesmo pede doações para realizá-lo; assim, muitas pessoas acharam isso estranho e nos acusaram de gerar desinformação e coletar fundos de forma escusa, quando reproduzimos a informação.
(...)
Peço desculpas por envolve-lo nessa confusão.
Sinceramente,
Luís Fernando Novaes
Diretor Geral | Epoch Times em Português"


Olavo de Carvalho publicou, em 17 de março de 2016, no Facebook:

"Neste momento estou sofrendo, da parte de pessoa ligada aos defensores das "nossas instituições", o ataque mais letal e ardiloso já voltado contra a minha pessoa e o meu trabalho. Não se trata de difamação ou calúnia (isso já virou arroz-com-feijão), mas de uma armadilha jurídica muito bem montada, calculada para me desprover dos meus meios de trabalho e subsistência por muitos meses (justamente no momento mais decisivo da luta pela salvação do Brasil), a contar dos próximos trinta dias. Não posso dar detalhes por enquanto, mas aviso aos meus alunos e leitores que talvez eu venha, em breve, a precisar de todo o seu apoio. Não vou pedir contribuições a ninguém. Apenas, para levantar os fundos necessários para enfrentar a situação, darei alguns cursos extras durante a semana."


Seita Meninos de Deus (Children of God)

Em 2011 o Olavo de Carvalho divulgou no Brasil o hoax de que a Pepsi estaria usando células de fetos abortados como adoçante nos refrigerantes. A Pepsi assinou um acordo com a Senomyx, uma empresa de biotecnologia que trabalha com o desenvolvimento de aditivos para amplificar determinados sabores e cheiros em alimentos e que utiliza as Células HEK 293 nas pesquisas e patentes. A Children of God for Life é um braço pró-vida da Children of God (COG) nos Estados Unidos, que organizou um boicote pela Internet.

A notícia, reproduzida no Brasil, foi publicada originalmente no jornal The Washington Times, fundado pelo Reverendo Moon, da Igreja da Unificação, nos Estados Unidos.

A Children of God (COG) (Meninos de Deus) é um movimento religioso, amplamente referido como uma seita, que teve início em 1968 nos Estados Unidos, que esteve entre os movimentos que inflamaram a controvérsia sobre as seitas nos anos 1970 e 1980, provocando o primeiro movimento antiseita, o FREECOG (The Parents' Committee to Free Our Children from the Children of God), fundada em 1971 por parentes preocupados de seguidores.

Relação com outras seitas

The Middle East Forum

O Olavo de Carvalho consulta fontes duvidosas para escrever seus artigos de imprensa, entre as quais se destacam:

  • The Epoch Times: É um jornal com sede em Nova Iorque, fundado por praticantes da seita Falun Gong, com o objetivo de expor a perseguição ao Falun Gong na China.
  • The Middle East Forum: É um think tank fundado em 1990 e dirigido por Daniel Pipes para promover os interesses dos Estados Unidos no Oriente Médio, especialmente o Sionismo e o abastecimento regular de petróleo a baixo custo.
  • The Washington Times: É um jornal com sede em Washington D.C., fundado em 17 de maio de 1982 pelo fundador da Igreja da Unificação, o Reverendo Moon.
  • UnoAmerica (Unión de Organizaciones Democráticas de América): é uma organização presidida por Alejandro Peña Esclusa, fundada em 2008 em Bogotá, na Colômbia. Em 2006, a partir de conversas informais entre Heitor de Paola e Alejandro Peña Esclusa, decidiu-se institucionalizar o combate ao Foro de São Paulo através da fundação de uma organização com sede na Colômbia. Heitor de Paola é participante ativo do Grupo Brasileiro de Articulação Sionista (ArtiSion).
National Report

Igreja da Unificação, do Reverendo Moon

A Igreja da Unificação (seita Unificação pela Paz Mundial) foi fundada em 1954, na Coreia do Sul, pelo Reverendo Moon.

Os "moonies", como ficaram conhecidos os discípulos da Igreja da Unificação, foram destaque na imprensa internacional por causa dos casamentos em massa, nos quais milhares de pessoas que não se conheciam se casavam.

No Brasil o Reverendo Moon comprou terras do Mato Grosso do Sul em um total que chega a 85 mil hectares (além de outros 200 mil hectares da mesma terra no lado paraguaio). Em 2002 a Assembleia Legislativa Sul-Matogrossense instaurou uma CPI para investigar o caso.

Nos anos 1990 o Reverendo Moon deu início ao ambicioso projeto de transformar a cidade de Jardim (Mato Grosso do Sul) em uma colônia coreana, com milhares imigrantes coreanos e japoneses. A chegada em massa dos orientais à pequena cidade causou toda espécie de estranhamento.

O Clube Esportivo Nova Esperança, conhecido por CENE, fundado na cidade de Jardim, no Mato Grosso do Sul, é um time de futebol brasileiro pertencente à Igreja da Unificação, juntamente com o Clube Atlético Sorocaba.

Adulteração de livros de outros autores

Como vencer um debate sem precisar ter razão

O livro "Como vencer um debate sem precisar ter razão"[63] é basicamente o mesmo escrito póstumo de Arthur Schopenhauer, A Arte de Ter Razão, uma sistematização formal aos artifícios desonestos recorrentes nos debates, introduzido, anotado e comentado por Olavo de Carvalho.


Ponerologia Política

La ponerología política, de Andrzej Łobaczewski

Ponerologia, o estudo do mal, do grego poneros (malícia, maldade), é a ciência da natureza do mal adaptada a propósitos políticos. O termo foi cunhado pelo psiquiatra polonês Andrzej M. Łobaczewski (Andrew M. Lobaczewski) , que estudou como os psicopatas influenciam no avanço da injustiça social e sobre como abrem caminho para o poder na política.

Segundo o Olavo de Carvalho, o psicopata é uma pessoa de inteligência normal ou superior, às vezes dotada de uma capacidade incomum para agir no ambiente social, mas lhe falta os sentimentos morais, especialmente a compaixão e a culpa, que ele conhece-os perfeitamente, mas os vivencia de maneira puramente intelectual, como informações a ser usadas, sem participação pessoal e íntima. Quanto maior a sua frieza moral, maior a sua habilidade de manipular as emoções dos outros, usando-as para os seus próprios fins, que, nessas condições, só podem ser malignos, criminosos ou políticos.

Na capa da edição brasileira do livro de Andrzej Łobaczewski, pode-se ver ao centro, encimando o que seriam as duas torres de escritórios do Congresso Nacional, o punho cerrado utilizado comumente para representar a combatividade das esquerdas e, nas cúpulas das duas câmaras, o que parece ser a vista do Kremlin, à esquerda, e o Capitólio dos Estados Unidos, à direita.

Segundo o prefácio escrito por Olavo de Carvalho:

"Não é preciso nenhum estudo especial para saber que, invariavelmente, o discurso comunista, pró-comunista ou esquerdista é cem por cento baseado na exploração da compaixão e da culpa. Isso é da experiência comum."


Segundo o site dedicado à edição original (em inglês):

"As pessoas que perderam a capacidade de raciocínio lógico (e, portanto, a capacidade de distinguir a verdade da mentira) são portanto mais inclinadas a aceitar a paralógica e a paramoral dos psicopatas e caracteropatas. Observe, por exemplo, o comportamento da "Direita Cristã" e sua aceitação acrítica da propaganda de guerra."
"A busca da verdade revela fatos "inconvenientes", ou seja, moralmente constrangedores. Por exemplo, os senhores de escravos cristãos sendo lembrados de que manter escravos não é uma atividade muito cristã; ou americanos que normalmente não seriam preconceituosos sendo informados de que os dólares de seus impostos estão sendo gastos para finalidades racistas, ou seja, para a limpeza étnica dos palestinos nas terras cobiçadas pelos sionistas. As sociedades hedonistas reprimem o fato de que se beneficiam do sofrimento alheio."


No Brasil o livro recebeu o título de Ponerologia: Psicopatas no Poder, como se o Olavo de Carvalho não fosse um psicopata.

  • Em inglês: Political Ponerology: A science on the nature of evil adjusted for political purposes
  • Em espanhol: Ponerología Política: Una ciencia de la naturaleza del mal adaptada a propósitos políticos

The Adventures of Jonathan Gullible

Henry Kissinger e Winston Ling

No Brasil o livro The Adventures of Jonathan Gullible recebeu o título de As Aventuras de Jonas, O Ingênuo. É um livro escrito pelo professor de economia Ken Schoolland, que explica ao público infanto-juvenil os princípios do livre mercado e do libertarismo.

Foi traduzido e publicado no Brasil pelo Instituto Liberdade, do Rio Grande do Sul, um think tank fundado em Porto Alegre em 1986, cujo primeiro presidente foi o empresário Winston Ling, que hoje mora em Xangai, na China, filho do imigrante chinês, Presidente do Conselho de Administração da Petropar, Sheun Ming Ling.

Winston Ling, que gravou um Podcast para o Instituto Ludwig von Mises Brasil, tenta atrair para o Rio Grande do Sul uma fábrica da Geely, maior montadora privada chinesa. Segundo Winston Ling, o guanxi (networking) é condição fundamental para se fazer negócios na China.


Desafetos e vítimas do Olavo de Carvalho

Associação Racionalista de Céticos e Ateus

Criada em 19 de novembro de 2013 por oito grandes amigos ateus, a ARCA - Associação Racionalista de Céticos e Ateus - é formada por uma equipe que luta contra todo tipo de preconceito principalmente em relação aos ateus, a intolerância e a hipocrisia, prezando pelo ceticismo de forma racional e buscando o diálogo inteligente. Um dos poucos grupos de céticos e ateus que fazem ativismo fora do mundo virtual, como encontros mensais, campanhas e palestras.[64]

"Esse tipo de organização é necessária e impõe respeito ao restante da sociedade. Tente imaginar como seria ser ateu hoje no Brasil se a ATEA não estivesse freando alguns fundamentalistas juridicamente. É muito complicado. Não sei se iremos realmente conseguir, mas é uma vontade comum entre nossos membros, transformar a ARCA em algo oficial mesmo!"[65]


O 1º Congresso Anual de Ateus do Estado do Rio de Janeiro (CAAERJ) foi realizado na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. O evento, com palestras, debates, discussões, bate papo, cultura e conhecimento, foi organizado pela ARCA (Associação Racionalista de Céticos e Ateus) e pela AAUSA (Ateus e Agnósticos da UFRRJ: Sociedade Ateísta). O biólogo Paulo Miranda Nascimento (Pirula) ministrou a palestra de encerramento com o tema "Negadores da Ciência".

No canal do youtube onde são encontrados todos os vídeos criados pelo grupo, vai ao ar ao vivo, todos os sábados, às 22:30hs, um hangout (bate papo por vídeo conferência), onde o grupo busca abordar temas acerca de ateísmo, ceticismo, ciência e filosofia. Com excelentes convidados e a equipe de entrevistadores mais insana do youtube, você aprende, se surpreende e dá boas risadas com o canaldarca.

A ARCA também mantém parceria com outros grupos, como a Comunidade Céptica Portuguesa (COMCEPT), o blog Atheist Think, o canal Papo de Primata, a Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (ATEA), entre outros.

Saiba mais:


Edson Filho (Edson Manoel de Oliveira Filho)

Olavo de Carvalho, que vinha trabalhando como diretor editorial informal e conselheiro geral da É Realizações, rompeu relações com o empresário Edson Filho, que é casado com Angela Zogbi de Oliveira, de uma rica família de empresários e banqueiros.

Edson Filho, dono da É Realizações, de boa fé, emprestou a Olavo de Carvalho vultosa quantia em dólares para que ele realizasse obras em sua nova casa, na área rural da Virgínia. Como vingança por ter sido enganado, Edson Filho criou o site Mídia a Mais para concorrer com o Mídia Sem Máscara.

A É Realizações surgiu em 1995 como um espaço para cursos e palestras no bairro Vila Mariana, em São Paulo. Recebe investimentos financeiros da rica família de Angela Zogbi de Oliveira.

Olavo de Carvalho afirma ter sido o responsável por montar o catálogo da editora e que o rompimento da parceria com a É Realizações se deu por divergências na edição das obras completas de Mário Ferreira dos Santos.


Liana Dines (filha de Alberto Dines)

Liana Dines, da alta sociedade carioca, casada, na época, sustentava Olavo de Carvalho com contribuições em dinheiro, acreditando na justiça de sua causa e na lisura de seu caráter. Quando Liana Dines resolveu cessar as contribuições, Olavo de Carvalho começou a chantageá-la, ameaçando dizer que ela o estava tentando seduzir.

Liana Dines é filha de Alberto Dines, coordenador do Observatório da Imprensa, o primeiro periódico de acompanhamento da mídia no Brasil, que conta atualmente com versões no rádio e na televisão.

Alberto Dines recebeu em 24 de outubro de 2007 o prêmio "Austrian Holocaust Memorial Award" no Consulado Geral Austríaco no Rio de Janeiro.

Segundo Alberto Dines, três dos seus quatro filhos (Arnaldo, Debora e Liana) moram fora do Brasil há pelo menos trinta anos.


Janer Cristaldo

Janer Cristaldo foi censurado do Mídia Sem Máscara e acusado de antissemitismo por Olavo de Carvalho após a publicação do artigo "Sobre Maimônides", disponível no Baguete Jornalismo Digital, de 12 de dezembro de 2005.

Segundo Olavo de Carvalho:

"O Mídia Sem Máscara não é puro e inatacável como a Folha, o Globo e tantos outros monumentos de santidade jornalística. Enquanto essas publicações jamais pecam, jamais têm culpas morais, no máximo deslizes técnicos cometidos com intenções insuperavelmente éticas e elevadas, nós aqui assumimos a plena responsabilidade moral do que publicamos, e não nos sentimos isentos de culpa pelo que Janer Cristaldo escreveu. Ao contrário, assumimos essa culpa - não por concordarmos com uma só palavra do que ele disse, mas porque, quando um homem não sente vergonha do mal que comete, não resta alternativa aos seus colegas e amigos senão senti-la em lugar dele."



Paulo Leitão (Paulo Leitão de Gregório)

Paulo Leitão foi o líder da banda Auschwitz, que durou até 1993[66]

Paulo Leitão (* 22 de maio de 1973 em Natal, Brasil) é um ex-pastor protestante, convertido ao catolicismo, catequista e apologista, estudioso da Bíblia, empenhado na defesa bíblica da fé católica, autor dos livros "Um filho em defesa da Mãe - O que um ex-pastor protestante descobriu sobre a Virgem Maria na Bíblia" e "Salve Roma! A Igreja que Deus fundou", publicados pela Editora Martyria. Apresentador do programa "Em defesa da Fé", no canal Século 21 (TV Potiguar), Paulo Leitão é educador físico e músico.[66]

Paulo Leitão gravou o disco Latinidade e Revolução, com temas autorais mesclados com canções de Violeta Parra (Volver a lós 17), Carlos Saura (¡Ay Carmela!) e Carlos Puebla (Hasta Siempre, Comandante).

Em 2010 Paulo Leitão morou na Galileia. Na volta ao Brasil, viajou pelo interior da Região Nordeste para revelar conhecimentos do Evangelho. A volúpia, a luxúria e a ostentação deram vez à caridade e a benevolência.

O programa "Paulo Leitão em defesa da Fé", que foi ao ar dia 6 de maio de 2014, teve como tema a marca da besta e as perseguições judaicas.[67] Segundo Paulo Leitão, a heresia sionista da perpetuação da lei mosaica é uma tentativa de ruptura que agride um grande núcleo da fé católica, o Sacrifício Eucarístico.[47] Segundo Paulo Leitão, os sionistas creem que o povo de Israel continua a fazer parte do povo escolhido de Deus.


Livros publicados

O Mínimo que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota
  • A imagem do homem na astrologia. São Paulo: Jvpiter. 1980.
  • O crime da Madre Agnes ou A confusão entre espiritualidade e psiquismo. São Paulo: Speculum. 1983.
  • Questões de simbolismo astrológico. São Paulo: Speculum. 1983
  • Universalidade e abstração e outros estudos. São Paulo: Speculum. 1983.
  • Astros e símbolos. São Paulo: Nova Stella. 1985.
  • Astrologia e religião. São Paulo: Nova Stella. 1986.
  • Fronteiras da tradição. São Paulo: Nova Stella. 1986.
  • Símbolos e mitos no filme "O silêncio dos inocentes". Rio de Janeiro: Instituto de Artes Liberais. 1992.
  • Os gêneros literários: seus fundamentos metafísicos. 1993.
  • O caráter como forma pura da personalidade. 1993.
  • A nova era e a revolução cultural: Fritjof Capra & Antonio Gramsci. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro : Instituto de Artes Liberais & Stella Caymmi. 1994, disponível online: [2]
  • Uma filosofia aristotélica da cultura. Rio de janeiro: Instituto de Artes Liberais. 1994.
  • O jardim das aflições: de Epicuro à ressurreição de César - Ensaio sobre o materialismo e a religião civil. Rio de Janeiro: Diadorim. 1995.
  • Aristóteles em nova perspectiva: Introdução à teoria dos quatro discursos. Rio de janeiro: Topbooks. 1996.
  • O imbecil coletivo: atualidades inculturais brasileiras. Rio de Janeiro: Faculdade da Cidade. 1996.
  • Arthur Schopenhauer. Como vencer um debate sem precisar ter razão – em 38 estratagemas (Dialética Erística). Introdução, Notas e Comentários de Olavo de Carvalho. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.
  • O futuro do pensamento brasileiro. Estudos sobre o nosso lugar no mundo. 1998.
  • O imbecil coletivo II: A longa marcha da vaca para o brejo e, logo atrás dela, os filhos da PUC, as quais obras juntas formam, para ensinança dos pequenos e escarmento dos grandes. Rio de Janeiro: Topbooks. 1998.
  • Olavo de Carvalho (Org). O Exército na História do Brasil: Colônia. Rio de Janeiro/Salvador: Biblioteca do Exército/Odebrecht, 1998, 260 p.
  • Olavo de Carvalho (Org). O Exército na História do Brasil: República. Rio de Janeiro/Salvador: Biblioteca do Exército/Odebrecht, 1998, 273 p.
  • Olavo de Carvalho (Org). O Exército na História do Brasil: Reino Unido e Império. Rio de Janeiro/Salvador: Biblioteca do Exército/Odebrecht, 1998, 238 p.
  • Coleção história essencial da filosofia. São Paulo: É Realizações. 2002-2006.
  • From Poetics to Logic: Exploring Some Neglected Aspects of Aristotle's Organon. pp. 57-65.
  • A Dialética Simbólica - Ensaios Reunidos São Paulo: É Realizações. 2006.
  • Maquiavel ou A Confusão Demoníaca São Paulo: Vide Editorial. 2011.
  • A filosofia e seu Inverso, São Paulo: Vide Editorial. 2012.

Fotos, diplomas e medalhas

Cheio de diplomas e medalhas, mas...

Medalha do Pacificador (25 de agosto de 1999)
Medalha do Pacificador (25 de agosto de 1999)
Medalha Mérito Santos-Dumont (20 de julho de 2001)
Medalha Mérito Santos-Dumont (20 de julho de 2001)
Medalhas do Pacificador e Mérito Santos-Dumont
Diploma de colaborador do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil (30 de março de 2004)
Medalha Tiradentes (15 de dezembro de 2011)

Olavo de Carvalho recebeu, em coautoria com Mateus Soares de Azevedo, o Prêmio no Concurso de Monografias sobre a vida do profeta Muhammad, do Centro Islâmico do Brasil (Brasília, 8 de janeiro de 1986). Adicionalmente também foi agraciado com a Medalha do Pacificador (25 de agosto de 1999), Medalha do Mérito Santos-Dumont (20 de julho de 2001), diploma como colaborador do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil (30 de março de 2004), e, finalmente, recebeu a Medalha Tiradentes (2012), através de lei de autoria do deputado Flávio Bolsonaro. O deputado Marcelo Freixo deixou registrado na ata que, mesmo tendo um pensamento absolutamente oposto, defende o direito de o deputado Flávio Bolsonaro fazer a homenagem que ele quiser.

Perguntas

  • Quem financia o astrólogo Olavo de Carvalho?
  • Sidi Muhammad (Olavo de Carvalho) fundou alguma tariqa?
  • Olavo de Carvalho saiu do hospício sem alta médica?

Dossier sobre o Olavo de Carvalho

"Digitalizei as peças mais importantes da ação penal contra o Olavo de Carvalho e as envio no arquivo em anexo. Os documentos digitalizados são os seguintes: a) denúncia por apropriação indébita; b) testemunho da vítima Liana Dines; c) testemunho do escritor Mateus Soares de Azevedo; d) carta do Centro Islâmico parabenizando Olavo e Mateus pelo prêmio concedido à monografia sobre o profeta Maomé; e) sentença absolutória com base no princípio in dubio pro reo.
Posso resumir a ação em poucas palavras. Olavo convidou alguns alunos para uma viagem aos EUA, onde eles iriam conhecer um mestre sufi no estado de Indiana. Liana entregou a Olavo U$ 5.500,00 dólares para custear sua parte na viagem. A viagem ocorreu SEM LIANA. Após isso, ela registrou notícia-crime na Polícia, que deu origem à ação penal por apropriação indébita. Ocorreu que os juízes do Tribunal de Alçada Criminal usaram o princípio in dubio pro reo para absolver Olavo. Eles consideraram pouco crível que uma mulher instruída como Liana - filha do jornalista Alberto Dines - entregasse quantia tal alta nas mãos de seu professor, sendo que poderia ter recorrido a uma agência de viagens. Ou seja, os juízes subestimaram a lábia de Olavo de Carvalho e ignoraram que ninguém vira chefe de seita à toa."
"Por fim, o testemunho de Liana confirmou ainda que Olavo era polígamo na época em que viveu como muçulmano. Ela cita MERI HARAKAWA como uma das "esposas" de Olavo."


"Os alunos do Sr. Carvalho, mas não só, sabem que ele pertenceu à Tariqah de Frithjof Schuon, porém, ouvem uma estorinha inocente a respeito do facto da mesma ter sido aberta a gente de todas as religiões. O que ele não conta é que era tratado por Sidi Muhammad pelos senhores Schuon e Martin Lings, prova cabal de conversão."
"Lembremos agora do prémio que o Sr. Carvaho, orgulhosamente, proclama ter recebido do governo da Arábia Saudita, a propósito de uma obra sobre o Islão! Olavo, melhor do que ninguém, sabe qual é a pena para a apostasia, e que ela não se aplica apenas no caso de infiltração."


  • O 'vira-bosta' da Virgínia!. Armindo Augusto de Abreu (diplomado em Análise de Inteligência, professor e ex-membro do Corpo Permanente da Escola Superior de Guerra). Diário do Comércio, 18 de junho de 2007
"Investigamos nesta dissertação a atuação partidária do grupo organizado em torno do website Mídia Sem Máscara (www.midiasemmascara.org) entre os anos de 2002 e 2011. Ele se constitui em 2002, no contexto das eleições presidenciais que elegeram Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores, apresentando-se como um observatório de imprensa, sob a responsabilidade de seu principal organizador Olavo de Carvalho. Este propunha através do Mídia Sem Máscara agrupar uma série de intelectuais de direita em torno de um componente ideológico: o anticomunismo."


"Nesta publicação, o Prometheo Liberto traz ao público aquela carta dentre toda a correspondência trocada entre Olavo de Carvalho/Sidi Muhammad e Martins Lings que é a mais comprometedora. Nela pode-se ver Lings dando as solicitadas instruções a Sidi de como pagar o zakat (esmola), um preceito exotérico do Islã. Ora, se Sidi Muhammad fosse apenas sufi, como ele alega, estaria desobrigado de pagar o zakat, pois tal preceito só deve ser seguido pelos muçulmanos. Assim, a submissão de Sidi Muhammad ao preceito exotérico de pagamento do zakat é uma prova de sua conversão. Lings menciona ainda que Sidi era o líder da comunidade dele. Logo, cabia a ele decidir como usar o dinheiro arrecadado com o zakat. Dito isso, não há mais como sofismar sobre a conversão de Olavo ao Islã."


Documentos

Artigos sobre Olavo de Carvalho

Depoimentos sobre Olavo de Carvalho

Depoimentos de Olavetes

Artigos internacionais sobre Olavo de Carvalho


Filmes e documentários


Depoimentos sobre colaboradores do Olavo de Carvalho

RogerioChequer.jpg

Dâniel Alves Fraga

Douglas Ivanowski Kirchner

Emerson Eduardo Rodrigues

Jair Bolsonaro

Matheus Sathler

Nando Moura

Ricardo Gama

Rick Jardim (Ricardo Jardim)

Rogério Chequer


Entrevistas com colaboradores do Olavo de Carvalho

Kim Patroca Kataguiri

Emerson Eduardo Rodrigues e Marcelo Valle Silveira Mello


Ver também


Referências

  1. Em São Paulo existe a Rua Professor Olavo de Carvalho, no bairro Jardim Humaitá, CEP 05307-100.
  2. Judeus, Mafia e Cassinos de Las Vegas. Menorah na TV, 22 de maio de 2013.
  3. Uma carta de Olavo de Carvalho foi publicada no livro Letters to Cindy Sheehan: Messages to the Left on America's Noble Cause in Iraq, na página 326, em oposição à guerra contra o Iraque.
  4. Confissão Olavo de Carvalho.png
  5. Currículo - Olavo de Carvalho
  6. 6,0 6,1 Cartilha Pega Ladrão. Antoninho Marmo Trevisan, Antonio Chizzotti, João Alberto Ianhez, Jose Chizzotti, e Josmar Verill, 16 de setembro de 2002.
  7. Olavo Egydio Monteiro de Carvalho é primo de Lilibeth Monteiro de Carvalho, que, entre 1975 e 1981, foi casada com Fernando Collor de Mello.
  8. 8,0 8,1 8,2 Armindo Augusto de Abreu, Diário do Comércio, 18 de junho de 2007
  9. Momentos inesquecíveis, olavodecarvalhofb, acessado em 4 de janeiro de 2018
  10. Gueto Frigideira entrevista Renato Pompeu, enxurrada
  11. Referências: a) Entrevista com Renato Pompeu, 21 de abril de 2001 b) Tradição, a seita que extorque em dólares, agora caso de polícia. O Estado de S. Paulo, 10 de janeiro de 1986 c) Alto astral: Já se faz horóscopo até por computador. Revista Veja, 9 de abril de 1980, página 68
  12. Parte I: O Trajecto de um de um Astro? (1947 – 1986), Adubando o Jardim das Aflições
  13. Juan Alfredo César Müller, Central Nacional de Astrologia, publicado em 27 de Janeiro de 2010
  14. existiu na rua Vicente Prado, 110, Bela Vista - São Paulo/SP, CNPJ 61.364.881/0001-14 (data de abertura: 13/11/1989)
  15. CNPJ 57.974.750/0001-81 (data de abertura: 23/09/1987; inscrição ativa desde 24/09/2005), que é o nome fantasia de Olavo Luiz Pimentel de Carvalho
  16. Tradição, a seita que extorque em dólares, agora caso de polícia. O Estado de S. Paulo, 10 de janeiro de 1986
  17. Resposta solicitada pelo Sr. Ronaldo Schlichting
  18. "Minha esposa Roxane, que conheci em 1982 e com quem me casei em 1986 após sua conversão ao cristianismo, tinha sido presa em setembro de 1977 por participar de um ato público da UNE na PUC-SP, onde estudava, e interrogada no Dops em São Paulo. Ela era então membro de uma organização trotskista, onde seu codinome era Cláudia."
  19. Alto astral: Já se faz horóscopo até por computador. Revista Veja, 9 de abril de 1980, página 68
  20. 30/1/2017, olavodecarvalhofb
  21. O advogado Fausto Thame (um dos dirigentes da seita Tradição em São Paulo) e a psicóloga Marisa Cristina Thame (funcionária da editora Dervish International) foram citados na reportagem Astrólogo diz que recebe ameaças por ter denunciado atividade de seita, no jornal Folha de S. Paulo, em 11 de janeiro de 1986, e na reportagem Tradição, a seita que extorque em dólares, agora caso de polícia, no jornal O Estado de S. Paulo, em 10 de janeiro de 1986.
  22. Acervo do advogado Fausto Thame é doado para Biblioteca Municipal
  23. O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) concede o registro profissional a 14 categorias: Artista e Técnico em Espetáculos de Diversões; Arquivista e Técnico em Arquivo; Atuário, Guardador e Lavador de Veículos; Jornalista; Publicitário e Agenciador de Propaganda; Radialista; Secretário e Técnico em Secretariado; Técnico de Segurança do Trabalho; e Sociólogo.
  24. Processo da Liana Dines, filha do Alberto Dines, dono do Observatório da Imprensa, contra o Olavo de Carvalho, de 1989
  25. Olavo de Carvalho confessou toda a história no True Outspeak de 16 de fevereiro de 2011.
  26. A Sociedade Brasileira de Astrocaracterologia existiu na rua Vicente Prado, 110, Bela Vista - Sao Paulo/SP (data de abertura: 13 de novembro de 1989)
  27. Astrólogo diz que recebe ameaças por ter denunciado atividade de seita. Folha de S. Paulo, 11 de janeiro de 1986
  28. Tradição, a seita que extorque em dólares, agora caso de polícia. O Estado de S. Paulo, 10 de janeiro de 1986
  29. The Guardian
  30. Toledo Blade, 16 de outubro de 1991
  31. 31,0 31,1 Peter Lamborn Wilson. Sacred Drift - Essays on the Margins of Islam. City Light Books, 1996.
  32. 32,0 32,1 32,2 32,3 PATSCHIKI, Lucas. Os litores de nossa burguesia: Mídia Sem Máscara em atuação partidária (2002-2011). Marechal Cândido Rondon: Programa de Pós-Graduação em História UNIOESTE, 2012.
  33. 33,0 33,1 33,2 A face obscura da política: governo e eleições no Mídia Sem Máscara. Luísa Roxo Barja. Aurora. Revista de Arte, Mídia e Política. n. 4 (2009). ISSN 1982-6672.
  34. Precisamos falar sobre Olavo. 18 de fevereiro de 2014.
  35. 35,0 35,1 35,2 Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome bertone
  36. Olavo de Carvalho é um gênio!. 2 de janeiro de 2014
  37. Quem financia o astrólogo? Baguete, 27 de janeiro de 2008
  38. Como a Veja se tornou uma olavete. Diário do Centro do Mundo, 5 de janeiro de 2014
  39. "Referência pejorativa aos entusiastas de Olavo de Carvalho, geralmente com tendências de direita ou extrema direita."
    Fonte: Dicionário Criativo
  40. Um dos líderes da oposição na Venezuela é preso. Jornal Nacional, 13 de julho de 2010
  41. Urgent appeal. Olavo de Carvalho, 15 de Julho de 2010
  42. [1] Diário da Câmara dos Deputados (27 de fevereiro de 2014). Visitado em 6 de janeiro de 2015. Páginas 148 e 149
  43. Entenda o conflito Israel X Palestina(em português)
  44. A explicação para certas notícias faltantes na imprensa brasileira. Prometheo Liberto, 11 de março de 2014
  45. Recado aos judeus. Olavo de Carvalho, O Globo, 20 de março de 2004
  46. Capas dos livros:
  47. 47,0 47,1 Olavo de Carvalho, Visão Judaica, n. 25, agosto de 2004
  48. Olavo de Carvalho, o 'parteiro' da nova direita que diz ter dado à luz flores e lacraias, João Fellet, BBC, publicado em 15 de dezembro de 2016
  49. Olavo de Carvalho | O Nazismo era esquerdista? E o Fascismo?, Youtube
  50. Olavo de Carvalho | Não existe guerra entre Israel e Palestina, YouTube
  51. [A liderança judaica na Revolução Bolchevique e o início do regime soviético], Inacreditável, Publicado em 4 de agosto de 2014
  52. Elize Araújo Kitano Matsunaga e Marcos Kitano Matsunaga possuíam o Certificado de Registro do Exército Brasileiro para colecionar armas e também para atirar e caçar com elas. Em outras palavras, eles se enquadravam na modalidade CAC (Colecionador, Atirador e Caçador) que dá o direito a posse das armas. Fotos do casal revelaram que os dois participavam de caçadas. Numa das imagens Elize e Marcos posam sorridentes diante de um animal abatido. Numa das matérias de TV, o cabeleireiro de Elize diz que ela gostava de mostrar seus troféus (cabeça dos animais mortos) na parede da casa dela.
  53. Psicopatas ocultos e inversos. Agência de Notícias de Direitos Animais, 16 de julho de 2012
  54. O fantasma de Darwin. Observatório da Imprensa, 20 de julho de 2004
  55. Criminalizar abandono intelectual facilita controle. Consultor Jurídico, 20 de outubro de 2013
  56. Part 3. Home Schools.
  57. STF mantém prisão preventiva de ex-cônsul de Israel. 14 de maio de 2002
  58. "Arie Scher exercia as funções de cônsul para assuntos administrativos e consulares no Consulado Geral de Israel, no Rio de Janeiro, quando foi denunciado, em julho de 2000, pela suposta prática, por duas vezes, do crime de pedofilia. A polícia civil do estado encontrou, no seu apartamento, na zona sul da cidade, 154 fotos pornográficas de crianças e de um adolescente, além de 12 fitas de vídeo."
  59. Influência da Cientologia no ensino alemão preocupa autoridades. Deutsche Welle, 28 de julho de 2006
  60. Demissão no Colégio Andrews tem motivação política e financeira. Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região, 16 de setembro de 2014
  61. Venha Enfrentar a Ameaça Comunista em Wolfolavo 3D. 9 de maio de 2014
  62. Temos de taxar mais a renda e menos o consumo e os salários. Brasil de Fato, 2 de dezembro de 2014
  63. Arthur Schopenhauer. Como vencer um debate sem precisar ter razão – em 38 estratagemas (Dialética Erística). Introdução, Notas e Comentários de Olavo de Carvalho. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.
  64. O vlogueiro Maestro Bogs é um dos membros fundadores da ARCA.
  65. A Fundação Cacique Cobra Coral é uma fundação pseudocientífica brasileira, com sede em Guarulhos (SP), conhecida por manter contratos com o Estado brasileiro para intervir misticamente no tempo para não atrapalhar a realização de eventos. O escritor Paulo Coelho foi vice-presidente da Fundação entre 2004 e 2006.
  66. 66,0 66,1 A incrível história de Paulo Leitão, o ex-ateu e ex-viciado em drogas que um dia foi o grande nome do heavy metal potiguar. O Jornal de Hoje, 3 de novembro de 2012
  67. Paulo Leitão em defesa da Fé - O 666 e a marca judaica. Paulo Leitão, YouTube, 6 de maio de 2014
  68. "O artigo é resultado do acompanhamento do site Mídia Sem Máscara durante as eleições presidenciais de 2006, tendo integrado a pesquisa "O uso das novas tecnologias na ação política no Brasil e na Espanha"."