Adolf Hitler

Da Metapedia

Adolf Hitler Portraet.jpg
Unterschrift hitler2.png

Adolf Hitler (* 20 de abril de 1889 em Braunau am Inn, Império Austro-Húngaro (atualmente na Áustria); † 30 de abril de 1945 em Berlim, Alemanha) foi um político alemão. Foi o líder do NSDAP desde 1921, chanceler desde 1933 e Führer desde 1934 quando passou a ser chefe de governo e chefe de estado até a sua morte em 1945.

Lutou pela Alemanha na Primeira Guerra Mundial sendo condecorado com a Cruz de Ferro. Em decorrência do Putsch da Cervejaria em Munique no ano de 1923, Hitler ficou encarcerado por oito meses, período em que escreveu o Mein Kampf. Sob sua liderança, o Nacional-Socialismo alemão alcançou a vitória eleitoral em meio a uma tumultuada crise da República de Weimar, estabelecendo-se o Terceiro Reich. A Alemanha conseguiu sair crise e reduzir o desemprego, mas seu sistema político-econômico causava ameaça ao domínio que os banqueiros judeus tinham no Ocidente, que criaram um boicote internacional. Neste período Hitler buscou unificar terras da Alemanha que tinham sido separadas do resto da nação pelo Tratado de Versalhes. O apoio que recebeu da Itália acabou por aproxima-lo de Benito Mussolini. Sentindo-se ameaçado por Inglaterra e França, criou a Wehrmacht e o serviço militar voltou a ser obrigatório. As forças armadas foram modernizadas em virtude da possível eclosão de uma guerra.

Unifica então a Áustria com o resto da Alemanha, e tenta por vias diplomáticas com a Polónia uma ligação com a Prússia Oriental, então uma exclave. Amparada por Inglaterra e França, a Polónia rejeita qualquer diplomacia e inicia um plano de invasão. Hitler antecipa-se e inicia a Campanha da Polónia. Eclode a Segunda Guerra Mundial, e apesar das vitória iniciais do império alemão, a guerra fica desfavorável a partir da Batalha de Estalinegrado e dos bombardeios. Hitler sofre um atentado em 20 de julho de 1944 no Wolfsschanze (quartel-general localizado na Prússia Oriental) e desde então passa a viver no bunker em Berlim. Com o fim próximo do conflito e a eminente derrota dos países nacionalistas, Adolf Hitler casou-se Eva Braun, sua companheira de longa data, pouco antes de suicidar-se. Há no entanto, controvérsias sobre sua morte. Em seu testamento nomeia Karl Dönitz como sucessor, chanceler apenas por poucos dias até a capitulação.

No pós-guerra, a historiografia oficial (escrita pelos vencedores) aliada a uma intensa campanha midiática por vontade dos donos dos meios de comunicação, deturparam a imagem de Hitler. De político honesto, defensor dos interesses do seu povo, anti-tabagista, vegetariano e artista, passou a ser considerado um monstro perverso e atribuída a ele toda a responsabilidade da guerra e da farsa do Holocausto.

Índice

Biografia

Infância e Juventude

Adolf Hitler foi o quarto dos seis filhos do funcionário de alfândega Alois Hitler e sua terceira mulher, Klara Hitler ( nascida Pölzl). Dos seis filhos, apenas Adolf e sua irmã Paula alcançaram a idade adulta.

Em função das várias mudanças de domicílio por motivos profissionais do pai, Adolf frequentou várias escolas, de forma desinteressada em oposição ao pai que lhe queria impor a carreira burocrática de funcionário público. Conforme declarações posteriores, vislumbrava a Adolf Hitler a carreira de pintor artístico, e efetivamente foi considerado excelente desenhista, avesso contudo, a atividades de carater repetitivo.

Assim, após o falecimento dos pais, Adolf Hitler obtinha rendimentos com a venda de suas pinturas de quadros e cartões postais, além da pensão por orfandade, da qual abdicou posteriormente em benefício de sua irmã Paula.

Primeira Guerra Mundial

Hitler (sentado primeiro à esquerda) como soldado na Primeira Guerra Mundial.

Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, Adolf Hitler apresentou-se como voluntário e participou como cabo na função de mensageiro (Meldegänger) na Front de batalha.

Em dezembro de 1914 foi condecorado com a Cruz de Ferro de II Classe (Eisernes Kreuz II Klasse). Em outubro de 1916 foi ferido, e após internação hospitalar voltou ao Fronte em março de 1917. Em 15 de Outubro de 1918 Hitler sofreu um ataque com gás na Batalha de Ypres, tendo ficado temporariamente cego.

Em 1918 foi condecorado com a Cruz de Ferro de I Classe (Eisernes Kreuz I Klasse).

Ascensão política

Já em 1933 logo após Hitler ter sido eleito chanceler, judeus declararam à Alemanha um boicote comercial.

Em decorrência da derrota na Primeira Guerra Mundial, foi imposto à Alemanha o Tratado de Versalhes, que lhe determinava retaliações e reparações, como perda de territórios e pagamentos de indenizações de guerra em montantes que em muito excediam a real capacidade de cumpri-las. As consequências sociais e políticas assim geradas pelas imposições insensatas dos vencedores do conflito, são vistas por alguns autores como componentes das causas do futuro desencadeamento da Segunda Guerra Mundial.

A experiência vivida na Primeira Guerra Mundial e as conturbações sociais e políticas do pós-guerra, levaram Adolf Hitler a se engajar na política visando a restruturação e a normalização territorial e social alemã.

Hitler desenvolveu suas atividads políticas a partir de 1919, filiando-se ao Partido dos Trabalhadores Alemães - DAP (Deutsche Arbeiterpartei). Promoveu a mudança do nome do partido para Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães - NSDAP (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei).

Putsch da cervejaria

Inspirado na Marcha sobre Roma, e descontente com a ocupação do Ruhr e a enorme inflação e a intensa instabilidade interna na Alemanha, Hitler e os nacionalistas de seu partido planejam em uma cervejaria de Munique, conquistar o poder da Baviera no chamado Putsch da cervejaria ou Marcha de Feldherrnhalle. Tal evento aconteceu pouco depois de uma tentativa de golpe em Hamburgo por parte do partido comunista.

Reprimido pela polícia, Hitler e outros partidários como Rudolf Hess foram presos. Na prisão escreveu o Mein Kampf. Após sua libertação, dedicou-se ativamente reestruturação do partido e a busca pelo poder pelas vias legais, o que resultou na consagração do NSDAP como o maior e mais importante partido nas eleições de 1932.

Em 30 de janeiro de 1933, Paul von Hindenburg (Presidente da Alemanha) nomeou Adolf Hitler para Chanceler da Alemanha.

Política sócio-econômica

Como Chefe de Estado, Adolf Hitler reestruturou a economia do país, com a concomitante criação de oportunidades de trabalho para mais de 6 milhões de desempregados.

Criou o seguro social, com programas de acesso a moradias populares.

Promoveu políticas de apoio e valorização à maternidade, em função do desequilíbrio populacional decorrente da perda de milhões de vidas na Primeira Guerra Mundial.

Promoveu políticas de apoio e incentivo ao trabalho urbano e rural, considerando este básico para o fortalecimento da estrutura social, dada a sua importância na solução das necessidade básicas alimentares da sociedade.

Incentivou a indústria, inclusive na área de transportes pesados e de passageiros. Além da ampliação da rede de rodovias e ferrovias, merece menção o programa de construção de um carro popular que apresentasse boa qualidade e mecânica simples, com preço que atendesse às classes menos favorecidas e viabilizasse sua ascensão social : o Volkswagen (carro do povo), o popular "besouro" ou "fusca" como é chamado no Brasil, idealizado e construido por Ferdinand Porsche.

Em 1935, a Alemanha apresentava melhoras substanciais nos seus índices sócio-econômicos, em patamares superiores às outras nações européias.

Em 1936 promoveu com espetacular abertura, os Jogos Olímpicos de Berlin, com grande aprovação popular e reconhecimento internacional.

Comunidade financeira

Adolf Hitler, em sua política econômica combateu a especulação financeira, por sua incapacidade produtiva e sua característica de simples transferência de renda.

Contrariava assim influentes segmentos econômicos controladores desta atividade, notadamente a comunidade judaica, que - com ramificações em praticamente todo mundo desenvolvido - almejava solapar interesses alemães tanto internamente como junto à sociedadade internacional.

Para conter esta ameaça à soberania nacional, Adolf Hitler viu como única solução efetiva o incentivo à emigração e mesmo a exlcusão da comunidade judaica do território alemão.

É conhecida sua proposta de criação de um Estado próprio aos judeus, pretendendo evitar sua imiscuição política e econômica em outras nações.

Hitler aventou Madagascar para tal finalidade, porém após a guerra em 1948, as potências ocidentais decidiram implantar o atual Estado de Israel na Palestina, que se tornou a partir de então, foco constante de atritos com os palestinos, compulsoriamente subtraídos de seu território em benefício do Estado de Israel. As políticas desenvolvidas por Adolf Hitler em defesa à soberania e independência alemã contrariaram interesses estabelecidos e provocou iradas ações globalizadas, abertas e dissimuladas, orquestradas para combater de todas formas a filosofia nacional-socialista e o próprio povo alemão, ao qual, como povo rendido incondicionalmente na segunda guerra mundial, é negado o direito à defesa da verdade, através de legislações punitivas específicas a questionamentos à história oficial estabelecida, principalmente em países de idioma alemão.

Política externa

O esfôrço alemão, os resultados positivos obtidos com a reativação da economia, a vitalidade da sociedade na sua reorganização, causaram espécie nas nações européias, ciosas de se verem suplantandas por uma Alemanha novamente em rápido processo de desenvolvimento e modernização.

Adolf Hitler procurou recompor as perdas territoriais decorrentes da Primeira Guerra Mundial, com uma política de unificação alemã, levando em consideração as realidades históricas, culturais e sociais dos territórios em questão. Assim processou-se sob amplo apoio popular a inclusão da Áustria e da região dos Sudetos ao território alemão.

Dada a evidente inviabilidade da separação da Prússia Oriental do resto da Alemanha, imposta pelo Tratado de Versalhes, Adolf Hitler propôs à Polónia que se realizasse um plebiscito popular na região em questão, para definir sua soberania. Caso o plebiscito tendesse à soberania alemã, comprometeu-se a construir um complexo ferroviário de forma a garantir à Polónia o acesso a Danzig, e portanto ao mar.

Segunda Guerra Mundial

No entanto, as tentativas de acordo foram frustradas e as propostas rechaçadas. A Polónia, amparada por prévios tratados com a Inglaterra e França, mobilizou suas tropas, dando efetivamente início a atividades hostis à soberania alemã.

Detectadas as atividades preparativas bélicas, em 01 de setembro de 1939 a Alemanha, numa ação preventiva antecipou-se ao avanço dos exércitos polacos, e em resguardo de sua população e de suas províncias de Posen, Prússia Oriental e Danzig, iniciou a Campanha da Polónia.

Tal fato teve como consequência as já premeditadas declarações de guerra à Alemanha, por parte da França e da Inglaterra. A França se rendeu à Alemanha em 22 de junho de 1940 e os ingleses, derrotados e evacuados de Dunquerque receberam ofertas de paz da Alemanha à qual interessava primordialmente a sua sobrevivência como nação soberana e a convivência pacífica e respeitosa entre os povos. As ofertas de paz porém, foram rechaçadas.

Na evidente impossibilidade de defender sua soberania de forma pacífica, em 3 de junho de 1941 a Alemanha se antecipou ao ataque de Stalin, chegando as tropas à Moscou em dezembro de 1941, sem no entanto lograr êxito na sua ocupação devido ao desgaste do combate em várias frentes e ao vigoroso inverno russo.

A ampliação do conflito acabou por envolver outras nações, finalizando na destruição da nação alemã, e no lançamento pelos Estados Unidos da América das duas primeiras e até agora únicas bombas atômicas contra a sociedade civil de Hiroshima e Nagasaki, no Japão.

Assim processou-se um dos mais sangrentos embates dos útlimos tempos, provocando imensos sofrimentos humanos e prejuízos materiais, e por último e ainda na atualidade, as insistentes e infidáveis tentativas de macular o povo alemão, manipulando e distorcendo-se a História na mídia internacional com acusações inverídicas, julgamentos forjados e provas montadas.

Vida particular

Adolf Hitler, não obstante sua oratória articulada e persuasiva, no âmbito particular era de natureza discreta e contida. Sabe-se que amava os animais e afirma-se que teria sido vegetariano.

Fato é que não fumava nem consumia bebidas alcoólicas. Como companheira afetiva tinha Eva Braun, com a qual casou-se antes de suicidar-se em 30 de abril de 1945, ante a iminente destruição da nação alemã.

Um aspecto da personalidade de Adolf Hitler, foi o seu sentimento para o belo, sua apreciação das artes e sua vocação para o desenho e a pintura. Outrossim mostrava especial interesse pela arquitetura. Sua relação com a arte foi marcante em sua vida

Video

Literatura

  • Frank, Johannes, Eva Braun, Verlag K. Schuetz, Preussisch Oldendorf, 1988
  • W.v. Asenbach, Adolf Hitler, Editorial Prometheus, Buenos Aires
  • Adolf Hitler, Mein Kampf, Zentralverlag der NSDAP, 1941
  • Augier, Marc, Götterdämmerung, Editorial Prometheus, Buenos Aires, 1949

Artigos relacionados

Ferramentas pessoais