Argentina

Da Metapedia

Argentina
República Argentina
Bandeira da Argentina
Brasão da Argentina
Bandeira Brasão
Lema: En Unión y Libertad
(Espanhol: "Em União e Liberdade")
Hino nacional: Himno Nacional Argentino
Gentílico: Argentino

Localização da Argentina

Localização da Argentina em verde escuro; Ilhas Malvinas, Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul (administradas pela Inglaterra) e a área reivindicada pelo país na Antártica em verde claro.
Capital Buenos Aires
34°36'S 58°22'O
Cidade mais populosa Buenos Aires
Língua oficial Espanhol
Governo República Presidencialista
 - Presidente Cristina Fernández de Kirchner
 - Vice-presidente e Presidente do Senado Amado Boudou
 - Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Ricardo Lorenzetti
Independência da Espanha 
 - Luta 25/05/1810 
 - Proclamada 09/07/1816 
 - Reconhecida 21/09/1863 
Área  
 - Total 2.780.400 km² (8.º)
 - Água (%) 1,1
População  
 - Estimativa de 2012 41.281.631 hab. (31.º)
 - Censo 2010 40.117.096 hab. 
 - Densidade 14 hab./km² (165.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2011
 - Total US$ 710.700.000.000 (22.º)
 - Per capita US$ 17.376 (51.º)
PIB (nominal) Estimativa de 2011
 - Total US$ 435.200.000.000 (27.º)
 - Per capita US$ 10.639 (62.º)
Indicadores sociais
 - Gini (2009) 45,8
 - Índice de Desenvolvimento Humano (2011) 0,797 (45.º) – elevado
 - Esperança de vida 75,3 anos (59.º)
 - Mortalidade infantil 13,4/mil nasc. (71.º)
 - Alfabetização 97,6% (53.º)
Moeda Peso argentino
Fuso horário UTC -3

Verão:(DST) UTC -2

Clima Temperado
Organizações internacionais ONU (OMC), Mercosul, OEA, ALADI, CSN
Cód. ISO ARG
Cód. Internet .ar
Cód. telef. +54
Website governamental www.argentina.gov.ar

Mapa da Argentina

A Argentina (nome oficial por extenso República Argentina) é um país da América do Sul, limitado a norte pela Bolívia e pelo Paraguai, a leste pelo Brasil, pelo Uruguai e pelo Oceano Atlântico, a oeste pelo Chile. Sua capital é a cidade de Buenos Aires. O Estado argentino é uma república federal presidencialista. É conhecida pelo governo do país como a Nación Argentina (do espanhol, Nação Argentina), para muitas propostas legais.

Por sua extensão, a Argentina é o segundo maior país em tamanho da América do Sul depois do Brasil e o oitavo do mundo. Ocupa uma área de superfície continental de 2.766.889 km² (1.078.000 km²) entre a cordilheira dos Andes a oeste e o Oceano Atlântico Sul a leste e sul.

O país reivindica os territórios das Ilhas Malvinas (inglês: Falkland Islands) e das Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul atualmente controlados pela Inglaterra. Sob a denominação de Antártica Argentina, ela reivindica 96.464 km² da Antártica, abrangendo outras reivindicações feitas pelo Chile e pela Inglaterra.

Índice

Etimologia

O primeiro gentílico aplicado pelos europeus ao povo habitante da atual Argentina foi o termo castelhano "rioplatense". O nome foi dado por um equívoco feito por Sebastião Caboto em 1526, quando passou pelo estuário do Rio Uruguai e o chamou de Rio de La Plata ("Rio da Prata"), enganado pelo metal precioso que encontrou nas mãos de alguns indígenas, sem saber que eles o haviam tomado dos marinheiros da expedição portuguesa dirigida por Aleixo Garcia. Embora o equívoco tenha se esclarecido pouco depois, o nome manteve-se e logo o gentílico "rioplatense" aplicou-se em espanhol para designar os habitantes de ambas as margens do Rio da Prata, o qual os índios chamavam de Paraná-Guazú (termo que, traduzido da língua guarani, significa "mar grande").

A prata, em latim, recebe o nome de argentum, nome substantivo ao qual corresponde o adjetivo argentinus. O nome "Argentina" foi usado pela primeira vez pelo poeta Miguel Del Barco Centenera (1535-1605) em seu poema histórico Argentina y la Conquista del Río de la Plata ("Argentina e a Conquista do Rio da Prata"), publicado em 1602, 66 anos depois da fundação do Puerto de Nuestra Señora Santa Maria del Buen Aire ("Porto de Nossa Senhora Santa Maria do Bom Ar"), a atual cidade de Buenos Aires. O substantivo "Argentina" foi utilizado amplamente a partir do século XVIII para designar toda a região do Rio da Prata, abarcando os atuais territórios do Uruguai, Paraguai e parte do estado brasileiro do Rio Grande do Sul.

Geografia

A Argentina está situada no sul da América do Sul, com a Cordilheira dos Andes à oeste e o Oceano Atlântico ao sul e a leste. O país tem uma área total (excluindo a alegação da Antártida e de áreas controladas pela Inglaterra) de 2.780.400 km², sendo que 43.710 km², ou 1,57%, é composto por água. O território argentino é dividido em seis principais regiões. Os Pampas são as planícies férteis localizadas no centro e no leste. A Mesopotâmia é uma planície delimitada pelos rios Paraná e Uruguai, e o Gran Chaco localiza-se entre a Mesopotâmia e os Andes. O Cuyo está no lado leste dos Andes, e a região chamada de noroeste argentino fica no norte. A Patagônia é um grande planalto localizado ao sul do país.

O ponto mais alto acima do nível do mar é o Monte Aconcágua, na província de Mendoza, com 6.959 metros de altura[1] sendo considerado também o ponto mais alto do hemisfério sul e do mundo ocidental. O ponto mais baixo é a Laguna del Carbón, na província de Santa Cruz, com -105 m abaixo do nível do mar. Este é também o ponto mais baixo da América do Sul. O ponto continental mais oriental fica a nordeste de Bernardo de Irigoyen, em Misiones, e o mais ocidental é o Parque Nacional Perito Moreno, província de Santa Cruz. O ponto mais setentrional está na confluência dos rios San Juan e Mojinete na província de Jujuy, e o mais ao sul é o Cabo San Pío, Terra do Fogo.

Os principais rios são Paraná (o maior), Pilcomayo, Paraguai, Bermejo, Colorado, Negro, Salado e Uruguai. O Paraná e o Uruguai se juntam para formar o Estuário do Rio da Prata, antes de chegar ao Atlântico. Os rios regionalmente importantes são o Atuel e Mendoza, na província de mesmo nome, o Chubut na Patagônia, Rio Grand em Jujuy e San Francisco em Salta.

Os 4.725 quilômetros de comprimento de sua costa atlântica varia entre áreas de dunas e falésias. A plataforma continental argentina (Plataforma Patagônica), é excepcionalmente ampla e é conhecida como Mar Argentino. As duas correntes oceânicas principais que afetam a costa são a quente Corrente do Brasil e a fria Corrente das Malvinas. Por causa da irregularidade da massa de terra costeira, as duas correntes alternam a sua influência sobre o clima e não permitem que as temperaturas caiam uniformemente com a maior latitude. O litoral sul de Terra do Fogo forma a margem norte do Canal de Beagle.

Demografia

No censo de 2001 realizado pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos da Argentina (INDEC), o país tinha uma população de 36.260.130 de habitantes naquele ano e os resultados preliminares do censo de 2010 indicam uma população total de 40.091.359 pessoas. A Argentina é o terceiro país mais populoso da América do Sul e 33º do mundo. A densidade populacional é de 15 pessoas por quilômetro quadrado de área de terra, bem abaixo da média mundial de 50 pessoas. A taxa de crescimento da população em 2010 foi estimada em 1,03% ao ano, com uma taxa de natalidade de 17,7 nascimentos por 1.000 habitantes e uma taxa de mortalidade de 7,4 mortes por mil habitantes. O saldo migratório argentino variou de zero a quatro imigrantes por mil habitantes.

Idiomas

A língua oficial e de facto da Argentina é o espanhol, normalmente chamado castelhano pelos argentinos. O país é a maior sociedade de língua espanhola que emprega universalmente o voseo (o uso do pronome vos em vez de (você), o que também ocasiona o uso de formas verbais alternativas). O dialeto mais prevalente é o rioplatense, cujos falantes estão localizados principalmente na bacia do Rio da Prata. Italianos e outros imigrantes europeus influenciaram o lunfardo, uma gíria falada na região, permeando o vocabulário vernáculo de outras regiões também.

De acordo com o Ethnologue existem cerca de 1,5 milhões de falantes de italiano (tornando-se a segunda língua mais falada no país) e 1 milhão de falantes de árabe levantino (falado na Síria e Líbano) no país. O alemão padrão é falado por 400.000 a 500.000 argentinos de ascendência alemã, o que a torna a quarta língua mais falada.

Algumas comunidades indígenas mantiveram as suas línguas originais. O guarani é falado por alguns no nordeste, especialmente em Corrientes (onde possui estatuto oficial) e Misiones. O quíchua é falado por alguns no noroeste e tem uma variante local em Santiago del Estero. O aymara é falado por membros da comunidade de imigrantes bolivianos. Na Patagônia há comunidades de língua galesa, sendo que cerca de 25.000 habitantes a usam como segunda língua. Imigrantes recentes trouxeram idiomas como o chinês e o coreano (principalmente a Buenos Aires). O inglês, o português e o francês também são idiomas com alguma influência no país.

Referências

  1. Alturas y Depresiones Máximas en la República Argentina

Ligações externas

Ferramentas pessoais
Noutras línguas